sexta-feira, janeiro 06, 2017

Noruega é o primeiro país do mundo a desligar a rádio em FM!

Já é oficial: a Noruega rendeu-se ao lobbying da rádio digital em DAB, cumprindo a triste promessa de desligar, no ano de 2017, a velha mas eficaz rádio analógica.

A partir do próximo dia 11 do corrente mês de Janeiro, as emissões analógicas das rádios nacionais na cidade de  Bodø deixarão de poder ser escutadas, obrigando os residentes a adoptarem à viva força o DAB. E digo "à viva força" porque, segundo um inquérito realizado neste país nórdico, 66% dos noruegueses estão contra a mudança , que ocorrerá em todo o país até ao final do corrente ano. A capital, Oslo, perderá o sinal FM das rádios nacionais em Setembro.

Não obstante, a excepção à regra foi concedida às rádios locais, que poderão continuar a emitir em FM até 2022. Em todo o caso, não deixa de ser preocupante o facto de 2 milhões de carros na Noruega não estarem equipados com auto-rádio DAB, obrigando os seus proprietários a adquirirem adaptadores que chegam a custar 1500 coroas norueguesas, cerca de 160 euros. Pior: milhões de rádios  a pilhas ou ligados à rede eléctrica, nos bolsos dos casacos (telemóveis com rádio FM), nas aparelhagens de som, nas mesas das cozinhas ou no canto da sala tornam-se, literalmente, inúteis.

Para um país com 3,5 vezes a área de Portugal e metade da população portuguesa, é impressionante o poder do operador público de rádio, a NRK e as rádios nacionais privadas, no sentido de forçar a opinião pública a gastar dinheiro com uma tecnologia que vai tornar obsoletos milhões de rádios, colocando até em risco a segurança nacional, porquanto alguns ouvintes que não se apressem a adquirir um receptor DAB podem até perder informações de emergência veiculadas através das ondas de rádio digitais.

Por cá, em Portugal, 13 anos e mais de 11 milhões de euros volvidos, o DAB da RDP/RTP, que emitia a Antena 1, a Antena 2, a Antena 3, a RDP África e a RDP Internacional, morreu em 2011 e não existe neste momento vontade política e dos operadores para seguir o exemplo norueguês. Curiosamente, não muito longe da Escandinávia, um país tão avançado como a Finlândia também abandonou o barco do DAB. Se há países como a Noruega, a Suíça e o Reino Unido onde o DAB tem sucesso, também os há que reduziram drasticamente o perímetro geográfico do DAB (por exemplo, a vizinha Espanha, etc) ou até o eliminaram completamente (Portugal, Finlândia, entre outros).

2 comentários:

Manel do Outeiro disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anónimo disse...

Parece que o autor prefere outros lobbys. Paciência, desta vez o futuro venceu! Parabéns Noruega!