quinta-feira, janeiro 03, 2019

Antena Miróbriga muda de nome para Rádio M24:

A "Antena Miróbriga", estação local do concelho de Santiago do Cacém (102,7 MHz), mudou de designação: a partir de agora chama-se "Rádio M24". A emissora já tem um "site" novo (ainda que, aparentemente, em fase de construção; apenas disponibiliza a emissão "online"), no endereço: www.radiom24.pt .

terça-feira, dezembro 18, 2018

Valongo: torre da Rádio Comercial atingida pelo helicóptero ao serviço do INEM

Está oficialmente confirmado: a torre no alto da Serra de Santa Justa, em Valongo, que foi atingida pelo helicóptero que se encontrava ao serviço do INEM e que se despenhou, matando os quatro ocupantes, trata-se, efectivamente, de uma estrutura pertencente a um operador de radiodifusão, mais concretamente, à Rádio Comercial.

A julgar pelas fotografias entretanto publicadas, no meio de tamanha tragédia, a Média Capital Rádios ainda teve muita sorte, porquanto a parte destruída da torre limita-se a uma pequena zona do topo, não tendo afectado significativamente o sistema radiante do retransmissor da Rádio Comercial (98,2 MHz), partilhado com a M80 Valongo (105,8) e a Vodafone FM (94,3 MHz). Em suma, as emissões das rádios da MCR em Santa Justa não foram afectadas pelo acidente.

Naturalmente que, perante uma tragédia de carácter essencialmente aeronáutico, importa esperar que as entidades competentes (GPIAAF - Gabinete de Prevenção e Investigação de Acidentes com Aeronaves e Acidentes Ferroviários etc.) investiguem o que correu mal no fatídico voo. Pela parte da MCR, a empresa assevera que a luz de aviso da torre atingida estava a funcionar à hora da colisão.

Onda Corta en portugués? ¡Por supuesto!

No programa "Em nome do ouvinte" da passada sexta-feira, dia 14 de Dezembro, o Provedor do Ouvinte da rádio pública aborda a situação dos canais internacionais radiofónicos da RTP, a RDP Internacional e a RDP África.

Como não podia deixar de ser, o assunto Onda Curta da RDPi não ficou de fora das críticas do Provedor, havendo até lugar para a ironia da situação: enquanto Portugal abdica de um instrumento importante de soberania radiofónica e de promoção da língua e da cultura do país, no país vizinho a Rádio Exterior de Espanha reforçou as emissões em Onda Curta em português (com sotaque brasileiro).

É bom ver que há emissoras internacionais como a REE a apostar na língua portuguesa? Sem dúvida. Melhor ainda seria se víssemos a administração da rádio pública conseguir perceber o papel único que a Onda Curta desempenhava na aproximação dos emigrantes, dos luso-descendentes e demais lusófonos,
a Portugal. E, quase oito anos volvidos sobre o encerramento das emissões em OC da RDP Internacional, ainda há, felizmente, quem lamente esta decisão. A Internet pode ser censurada num determinado país, as antenas parabólicas podem ser proibidas numa qualquer região... mas a Onda Curta continua a poder ser ouvida por quem quer estar ligado ao seu país, à sua terra natal, às suas raízes.

segunda-feira, dezembro 10, 2018

Madeira: rádios passam a ser escutadas também nos túneis entre a Madalena do Mar e o Arco da Calheta

Segundo a edição deste domingo (dia 9 de Dezembro) do jornal " Diário de Notícias da Madeira" (a propósito, temos de agradecer ao nosso colaborador Tiago Gouveia a fotografia do artigo, já que, de outro modo, não seria possível lê-lo, porquanto a versão online do artigo não está completa), a instalação de um sistema de retransmissão de sinais de rádio no interior dos túneis que ligam a Madalena do Mar (concelho de Ponta do Sol) ao Arco da Calheta (no concelho da Calheta), destinado ao sistema SIRESP, permite também a difusão hertziana de algumas rádios da região dentro destas estruturas rodoviárias. Assim, a partir da próxima semana vai ser possível ouvir em FM, no interior dos túneis referidos, as emissões das três rádios públicas (Antena 1 Madeira, Antena 2 e Antena 3 Madeira), bem como as rádios locais dos dois concelhos, a Rádio Calheta, do concelho homónimo, e a Rádio Sol (do concelho da Ponta do Sol).

Importa recordar que não se trata propriamente de uma novidade inédita na ilha da Madeira: há uns anos, a RDP/RTP instalou um sistema radiante no interior do Túnel de Santa Clara, no Funchal, assegurando a escuta das três rádios públicas por parte de quem atravessa a estrutura.

Aos estimados leitores do blogue que possam ter conhecimento das frequências de rádio FM utilizadas nos túneis entre a Madalena e o Arco, ficaria muito agradecido se alguém tivesse a gentileza de nos informar das mesmas.

sábado, dezembro 08, 2018

Rádio Calheta (Madeira) ganha cobertura nos túneis da região(!?)

Direi que é um bom exemplo de como não escrever uma notícia sobre uma estação de rádio.

Segundo a edição online do "JM", a Rádio Calheta (98,8 MHz), estação local do concelho homónimo na ilha da Madeira (concelho da Calheta) passou hoje a fazer-se ouvir também no interior dos túneis da Madalena do Mar e de acesso ao Arco da Calheta.

Infelizmente, a notícia é suficientemente confusa para não se perceber claramente se a publicação sugere aos ouvintes o acesso à rede móvel 4G instalada recentemente nos túneis, no intuito de ouvirem  online a Rádio Calheta, ou se terão sido instalados sistemas radiantes para FM que além da Rádio Calheta possibilitem, porventura, a cobertura radioeléctrica de outras estações (pelo menos a Antena 1 Madeira e a Antena 3 Madeira, estações públicas com emissões regionais). Ora, para os ouvintes poderá não ser igual ouvir através da tecnologia tradicional do FM ou através do smartphone (onde o acesso à Internet não é, em muitos dos casos, gratuito, dependendo de um "plafond" de dados).

Se algum dos estimados leitores deste blogue localizados na Madeira estiver em condições de me esclarecer, agradeço a colaboração!

sábado, novembro 24, 2018

M80 Rádio encerrou... em Espanha!

Exactamente conforme a frase em epígrafe: a "M80 Radio" espanhola, marca do grupo PRISA que foi adaptada em Portugal, deixou de existir no país vizinho. Em contrapartida, nas frequências da M80 surgiu uma nova emissora: a "Los 40 Classic", uma estação claramente inspirada noutra rádio do grupo, a "Los 40" (mais ou menos o equivalente à Rádio Comercial ou à RFM em Portugal); a nova estação "Los40 Classic"aposta em temas musicais dos anos 80 e 90, sobretudo dentro do género pop.

Entretanto, para já, a marca "M80 Rádio" continua em Portugal, desconhecendo-se qualquer plano para mudar o formato da estação portuguesa.

quinta-feira, novembro 22, 2018

Tragédia de Borba: o verdadeiro papel das rádios locais

Porque vale sempre a pena destacar o papel das rádios locais na informação de proximidade e no acompanhamento da actualidade local, procurando ouvir os anseios e os problemas das populações locais, há que mencionar as rádios locais do Alentejo que, nos últimos têm cobrido o desabamento do antigo troço da Estrada Nacional 255, agora desclassificado, no concelho de Borba. Se a tragédia foi mencionada em muitas rádios locais da região, a começar, naturalmente, pela Rádio Borba, mas também pela Rádio Despertar (Estremoz), Diana FM (Évora), entre outras, importa, sem menosprezo pelo trabalho das demais, salientar o serviço público prestado pela Rádio Campanário (90,6 MHz Vila Viçosa) que, não se limitando a cobrir a situação nos serviços noticiosos, realizou, na passada terça-feira (dia 20/11/2018), um debate com representantes de algumas das pedreiras da região, incluindo alguns dos engenheiros responsáveis por estas indústrias, que analisaram a tragédia. Tomara muitas outras rádios locais (esperemos, contudo, em circunstâncias mais alegres) seguirem este verdadeiro exemplo de serviço público prestado a uma população que quer estar informada sobre o que acontece e porque acontece. Uma verdadeira rádio local é aquela que, não tendo os meios de uma rádio nacional, faz o que pode para acompanhar a actualidade de uma forma tão rigorosa e eficaz e completa quanto possível, mesmo num cenário de consternação e desalento motivado pela perda de vidas humanas num terrível acidente. Numa altura em que seria muito mais fácil ceder ao facilitismo da "playlist" musical em "piloto automático", ainda há, felizmente, quem, nalgumas rádios locais, não desista de cumprir a missão principal de uma rádio local: estar junto das populações que a ouvem.

quinta-feira, novembro 15, 2018

União Europeia quer obrigar auto-rádios novos a terem a tecnologia DAB/DAB+

Quando o Parlamento Europeu aparenta não ter mais nada de importante para discutir, eis que os senhores deputados se lembram de apresentar uma medida de inventivo à escuta das emissões de rádio através da tecnologia digital DAB/DAB+. Se o projecto da directiva europeia for levada avante, os fabricantes de automóveis e os de auto-rádios serão obrigados a fabricar rádios que, podendo manter a funcionalidade de recepção das emissões FM e OM, terão obrigatoriamente de permitir a recepção das emissões digitais DAB/DAB+. Isto se a rádio digital estiver disponível na região do feliz comprador do automóvel novinho em folha...

Já por várias ocasiões falei neste blogue da rádio digital - e mantenho tudo o que escrevi. Se a rádio digital promete ser o futuro em países como o Reino Unido,a Suíça ou a França, há outros países europeus em que, para já, um auto-rádio com DAB só é útil para sintonizar as emissões FM. Com efeito, (já) não existem emissões DAB/DAB+ na Finlândia; bem mais perto de Portugal, na vizinha Espanha só existem emissões digitais nas regiões de Madrid e Barcelona. Outros países europeus têm uma cobertura radioeléctrica do DAB/DAB+ ainda muito limitada. E mesmo na Noruega, país não pertencente à União Europeia mas que teve a atitude radical de desligar as rádios nacionais em FM no ano passado (2017), obrigando as populações a comprarem receptores digitais, há muito boa gente que não ficou muito satisfeita...

E por cá? Como foi dito em Janeiro de 2017, Portugal não tem condições para acabar com a rádio FM a curto prazo. Num país onde as rádios locais sobrevivem mantendo mesas, microfones e outros equipamentos com mais de 20 anos de operação, onde sem a solidariedade dos ouvintes e empresários da região seria muito difícil restabelecer a emissão FM depois de uma estação "ver" a sua torre caída mercê de condições meteorológicas extremas, num país com um dos salários mínimos nacionais mais baixos da Europa e onde muitos profissionais da rádio (inclusivamente na rádio pública) permanecem em situação laboral precária há demasiados anos, diria, socorrendo-me de um ditado popular, que quem não tem dinheiro não tem vícios. Não tenho dúvidas que a digitalização da rádio é o futuro, todavia, ao custo a que está a tecnologia digital nos dias de hoje, não há condições para as rádios portuguesas, especialmente as dos operadores locais, procederem a uma profunda actualização tecnológica compatível com a operação em modo exclusivamente digital. Quiçá se possa pensar melhor quando os custos de aquisição e funcionamento dos equipamentos de emissão em DAB+ diminuam substancialmente...