sexta-feira, fevereiro 26, 2021

Rádio Observador vai ganhar uma frequência de reforço na Grande Lisboa: 93,7 MHz Amadora

A ERC (entidade reguladora da comunicação social) deliberou recentemente a aprovação do processo de modificação do projecto definido para a rádio "Fi FM" (93,7 MHz Amadora), que passará a ser uma frequência temática informativa, bem como a alteração da designação para "Rádio Observador 93.7", sendo que em antena será apresentada como "Rádio Observador".

Na prática, a Rádio Observador vai passar a emitir também nos 93,7 MHz, reforçando o sinal na Grande Lisboa nas zonas onde o sinal dos 98,7 MHz Seixal apresenta falhas.

Com mais este investimento, a estação informativa do jornal online homónimo passará a contar com quatro frequências, a saber: 98,7 MHz Seixal (margem Sul do Tejo e região de Lisboa), 93,7 MHz Amadora (Grande Lisboa), 98,4 MHz Vila do Conde (Grande Porto e região Norte até Braga) e 88,1 MHz São João da Madeira (emissor em Oliveira de Azeméis, que serve o Sul do Grande Porto e o litoral até Ílhavo e Águeda).

quinta-feira, fevereiro 25, 2021

TSF sem "gás" em Braga

O emissor da TSF em Braga (106,9 MHz) está, há meses, a operar com potência reduzida. A situação só não é mais grave porque em zonas do distrito minhoto os auto-rádios comutam para outras frequências (Valongo, Muro, Marão etc.).

Não deixa de ser lamentável que uma rádio que tinha a reputação de operar com boas condições técnicas chegue ao ponto de já nem fazer ouvir de forma perfeita no terceiro distrito mais populoso do país. Infelizmente, as coisas não estão fáceis na estação - e muita gente da área técnica foi despedida da TSF, o que leva a que a qualidade de recepção, e, sobretudo, a qualidade do som da rádio se tenha deteriorado nos últimos tempos. É triste, muito triste, o estado a que chegou a rádio jornal idealizada pelo saudoso Emídio Rangel e por outros profissionais, e que marcou o panorama radiofónico português do final dos anos 80 e inícios dos anos 90...

terça-feira, fevereiro 23, 2021

Faleceu o maestro José Atalaya

Faleceu, aos 93 anos de idade, o maestro José Atalaya, um músico que marcou a história da rádio pública portuguesa. Colaborou com a então Emissora Nacional e mais tarde na Radiodifusão Portuguesa (RDP), onde chegou a ser director da Antena 2.

José Atalaya, mais do que simplesmente um maestro, foi um pedagogo e um divulgador da música clássica - e sem menosprezar os programas de televisão onde falava de música - foi, sobretudo, um homem da rádio e de boa música a passar na rádio. Que descanse em paz.

segunda-feira, fevereiro 22, 2021

105.4 Cascais com problemas técnicos no centro emissor

A 105.4 Cascais tem estado nos últimos dias a operar com potência reduzida e com interrupções, mercê de problemas técnicos no sistema de emissão. A rádio rock tem posto ao corrente os ouvintes, através das redes sociais, nomeadamente na página da estação no Facebook, a respeito da degradação significativa das condições de recepção dos 105,4 MHz.

Aparentemente, a resolução dos problemas técnicos terá de passar por uma revisão das antenas e dos demais componentes do sistema irradiante, pelo que a situação só poderá ser normalizada dentro de vários dias. Entretanto, para os ouvintes afectados, resta ouvir a emissão através da Internet. Esperemos que a 105.4 consiga reestabelecer tão prontamente quanto possível as condições de emissão - mesmo com o emissor a "todo o vapor", não ajuda o facto de a frequência ter apenas 400 W de potência aparente radiada máxima autorizada...

sábado, fevereiro 13, 2021

13 de Fevereiro de 2021: Dia Mundial da Rádio

Hoje é o Dia Mundial da Rádio, celebrado neste ano de 2021 em circunstâncias extraordinariamente difíceis para todos. Ainda assim, mesmo num contexto inédito em mais de 100 anos como uma pandemia, a rádio não pára.

Em tempos atípicos, em que grande parte do mundo se enclausura num universo circundado por paredes, a rádio permite "ver ouvindo" além do que conseguimos ver através da janela. Em vários países, onde as crianças e os jovens não podem ir à escola mercê da situação epidemiológica, a rádio tem estado, no último ano, a ser a radioescola que chega inclusivamente a quem não têm acesso a outros meios de comunicação, nomeadamente a Internet.

Com efeito, a rádio é um ser polivalente, capaz de se adaptar a novos desafios. Ao contrário da televisão ou de serviços online como o YouTube, na rádio não é necessária a preocupação com a estética visual. Não são necessárias equipas de maquilhagem, cabeleireiros ou técnicos a verificar as luzes. Tudo se concentra num único sentido: a audição.

Esta simplicidade é, muito provavelmente, a principal razão pela qual a rádio sobreviveu à televisão e transformou a ameaça da Internet num aliado; também a concentração de toda a informação sob a forma de som permite à rádio ser escutada mesmo quando os olhos dos ouvintes focam a estrada, o trabalho, os livros de estudo, a receita culinária ou o jogging matinal. Tal versatilidade não existe nos meios onde a imagem visual é fundamental, onde muitas vezes se preocupa demasiado com a aparência física em detrimento do conteúdo da mensagem a transmitir a quem estiver a escutar. Na rádio, o que efectivamente marca a diferença é o conteúdo da mensagem e as qualidades de eloquência de quem articula as palavras em frente ao microfone.

Se tivesse de descrever o maior feito que a rádio fez neste mundo, diria que foi o de revolucionar por completo o conceito de tempo. Ainda que no início do século XX já houvesse telefone, as notícias, os resultados desportivos e a cultura viajavam à velocidade da diligência, do automóvel ou do comboio. Com a chegada da rádio, o desporto, a informação, a cultura e o entretenimento passaram a chegar em tempo real. Muito antes da televisão ou das redes sociais, a rádio mudou por completo o paradigma cultural e social da sociedade.

Muito haveria a acrescentar relativamente à importância da rádio, todavia importa pensar o futuro do meio. Na era do consumo imediato e fútil das redes sociais e do streaming de música, a rádio tem de enfrentar o desafio de se reinventar. Mesmo numa altura de crise sanitária e económica, as rádios terão de saber utilizar da melhor forma possível os recursos de que dispõem. Em 2021 já é caricato haver programas com participantes que intervêm a partir de casa através de reuniões de áudio em plataformas como o Zoom ou Teams em que se nota claramente o som execrável e carregado de artifícios porque o utilizador não soube (nem lhe foram capazes de lhe ensinar a) configurar o software no modo de melhor qualidade de som possível. Em 2021 e com o devido respeito pelo trabalho dos profissionais, já se torna fastidioso escutar certos papagaios adestrados (felizmente há bons radialistas que não o são) que se limitam a palrar, perdão, a anunciar a hora, o estado do tempo e que a seguir vai-se ouvir um tema do artista "X", sem que tais duas ou três frases curtas soem idênticas a outras milhares e despertem o mínimo interesse no espírito do ouvinte. Em 2021, com tantas funcionalidades oferecidas pelos softwares de automação, não deixa de ser lamentável que certas rádios só conheçam 20 ou 30 músicas, repetidas até à exaustão hora após hora. Ao contrário do que possa parecer, não é preciso investir rios de dinheiro para transformar um produto insosso numa rádio minimamente interessante para a audiência habitual e para os novos ouvintes que começam a gostar do que ouvem; basta ter alguma criatividade e espírito de iniciativa para se fazer o que se pode com a prata da casa. Na era do podcasting, há quem use um microfone decente e um computador para produzir a partir de casa conteúdos interessantes. Se um podcaster amador consegue, um profissional de rádio, com a experiência e o conhecimento técnico acumulado durante anos saberá fazer melhor. A rádio não deve ser só música, política e futebol. Há muitos mais assuntos que podem e devem ser devidamente explorados num programa de rádio. Com os meios técnicos existentes e o saber-fazer, existirá, decerto, a capacidade de se criarem conteúdos para rádio que atraiam novos ouvintes. 

Para terminar, vale a pena aproveitar o Dia Mundial da Rádio para visitar de forma virtual e sem sair de casa os estúdios das rádios do grupo Renascença. Por via hertziana ou online, analógica ou digital, feita num estúdio, em casa, num navio ou, quando está bom tempo, até na rua, a rádio existe enquanto houver ouvintes que queiram saber o que ela lhes diz através do altifalante. Viva a rádio!

terça-feira, fevereiro 09, 2021

Rádio SBSR.FM evoca o passado da antiga XFM

A Rádio SBSR.FM vai ter uma emissão especial entre as 18 e as 20 horas do dia 2 de Março dedicada à história da antiga XFM, a rádio alternativa que emitiu de 1993 a 1997 em Lisboa e no Porto (no caso da cidade invicta, com um interregno de meses).

O programa que quer recordar as histórias e as músicas que marcaram a vida da XFM, estação por onde passou o mítico António Sérgio, poderá ser escutado no FM (90,4 MHz Lisboa e 91,0 MHz Porto (Matosinhos)) ou no site da estação. A imensa minoria não foi esquecida.

terça-feira, fevereiro 02, 2021

Rádio Club de Angra sem microcobertura na Praia da Vitória devido a queda da torre

 O Rádio Club de Angra, uma das mais antigas estações de rádio dos Açores (na ilha Terceira), viu a torre da microcobertura para o concelho da Praia da Vitória (94,7 MHz 50 W) não resistir ao mau tempo. Consequentemente, a rádio local do concelho de Angra do Heroísmo encontra-se a operar somente utilizando o emissor principal (101,1 MHz, com 400 W), e a microcobertura de Altares (concelho de Angra do Heroísmo) nos 89,6 MHz (50 W).

Esperemos que a estação reestabeleça rapidamente as condições de recepção na Praia da Vitória; lamentavelmente, longe vão os tempos em que a RCA emitia na Onda Média (909 kHz), cobrindo grande parte do arquipélago...

quarta-feira, janeiro 27, 2021

RDP África deverá começar em breve a emitir nos 91,5 MHz Porto com 1 kW P.A.R.

 Já saiu  o Despacho n.º 1072/2021 dos Gabinetes dos Secretários de Estado do Cinema, Audiovisual e Media e Adjunto e das Comunicações, que oficializa a atribuição da frequência de 91,5 MHz (Porto) à RDP África.

Com a potência aparente radiada máxima autorizada de 1 kW, o emissor da RTP-rádio deverá operar a partir do Monte da Virgem, irradiando o sinal da estação destinada às comunidades de origem africana para boa parte do Grande Porto; com efeito, a emissão dos 91,5 MHz deverá ser ouvida da Póvoa de Varzim até Santa Maria da Feira, pelo menos. Desconhece-se, para já, a data do início da entrada em funcionamento da nova frequência, mas tudo leva a crer que será muito em breve.

quarta-feira, janeiro 20, 2021

Rádio Observador já emite nos 88,1 MHz de São João da Madeira

 A Rádio Observador já se ouve no distrito de Aveiro e no Sul do distrito do Porto, na frequência de 88,1 MHz (ex- Rádio Regional Sanjanense), atribuída ao concelho de São João da Madeira.

Assim, a estação ganha a terceira frequência a nível nacional, que permite não apenas reforçar o sinal no Grande Porto como também fazer-se ouvir mais a Sul, até Ílhavo e Águeda. Recorde-se que a estação emite também nos 98,7 MHz Seixal, servindo parte da Grande Lisboa e margem Sul do Tejo e nos 98,4 MHz Vila do Conde (com emissor no Monte de Santa Eufémia), frequência que cobre o Grande Porto.

RDP África vai passar a emitir no Grande Porto, através dos 91,5 MHz!

O secretário de Estado do Cinema, Audiovisual e Media, Nuno Artur Silva, anunciou, em primeira mão, que a RDP África vai ter uma frequência no Grande Porto: 91,5 MHz

Trata-se de uma frequência atribuída há longos anos a um operador mas que jamais foi efectivamente explorada pelo vencedor do concurso. Nos últimos anos, a ANACOM autorizou a utilização temporária da frequência a algumas rádios, incluindo a Rádio Manobras.

Quase certo é que a RDP África vai emitir do Monte da Virgem, partilhando a torre com a Antena 1, a Antena 2 e a Antena 3. Desconhece-se para já a data do início da entrada em funcionamento do novo emissor. Com este "presente" do governo, o canal da rádio pública dedicada aos países africanos lusófonos e às comunidades africanas em Portugal, passa a ser escutada no FM do nosso país em Lisboa (101,5 MHz), Porto (91,5), Coimbra (103,4) e Faro (99,1 MHz). 

domingo, janeiro 17, 2021

Debate com os candidatos às eleições presidenciais amanhã na Antena 1, Rádio Renascença e TSF

É já amanhã, dia 18 de Janeiro, que a Antena 1, a Rádio Renascença e a TSF transmitem em simultâneo, a partir das 9h00, o debate com os vários candidatos às eleições presidenciais. De referir que, além da emissão nas rádios, o debate vai ser transmitido em vídeo através de streaming disponível nos sites e nas redes sociais das três estações.

sexta-feira, janeiro 15, 2021

Governo aumenta quota de música portuguesa nas rádios

O governo vai fixar a quota de música portuguesa nas rádios em 30%. A medida, anunciada pela ministra da Cultura, Graça Fonseca, afecta a esmagadora maioria das rádios locais, regionais e nacionais portuguesas, com a excepção de algumas estações temáticas que, por tocarem géneros musicais sem uma produção nacional satisfatória, estão isentas do cumprimento desta exigência.

De referir que a quota não sofre modificações desde que foi introduzida em 2009. Em todo o caso, a ERC reconheceu, em Julho de 2020, que a maioria das rádios já excede a quota obrigatória de 25% de música portuguesa.

quinta-feira, janeiro 14, 2021

Antena Livre (Abrantes) vai proceder às suspensão da emissão FM para trabalhos de manutenção no emissor e mudança de frequência para os 96,7 MHz

A Antena Livre (89,7 MHz Abrantes) vai realizar, na próxima terça-feira, dia 19, trabalhos de manutenção do emissor e à alteração da frequência, dos 89,7 para os 96,7 MHz. Esta mudança visa melhorar as condições de recepção na região, permitindo à estação abrantina chegar melhor e mais longe, numa frequência mais limpa. Neste contexto, a emissão FM será suspensa por algum tempo (enquanto decorre a intervenção técnica), contudo a emissão online não será afectada.

De referir que a frequência de 96,7 MHz foi utilizada pela extinta Rádio Tágide, outra rádio local que existiu em Abrantes, que teve de encerrar a actividade em 2014 devido a insolvência.

quinta-feira, janeiro 07, 2021

Rádio Observador reforça cobertura no Norte (88,1 MHz S. João da Madeira)

A Rádio Observador vai reforçar a cobertura radioeléctrica no Grande Porto e Beira Litoral (incluindo Aveiro), através da frequência da actual Rádio Regional Sanjoanense (88,1 MHz São João da Madeira), que vai passar a designar-se "Observador 88.1". A modificação do projecto aprovado para a rádio local atribuída ao concelho de S. João da Madeira já foi aprovada pela ERC.

Importa referir que a deliberação da entidade reguladora revela outra notícia interessante: a ERC está a avaliar a alteração do projecto aprovado para a actual "93.7 FM" do concelho da Amadora, frequência que poderá, a ser aprovada tal alteração, servir de reforço de sinal da Rádio Observador para a região de Lisboa e Estremadura.

Certo é que a Rádio Observador emite actualmente nos 98,7 MHz Seixal (servindo a região de Lisboa e a margem Sul do Tejo) e nos 98,4 MHz Vila do Conde (cobrindo o Grande Porto); em breve também nos 88,1 MHz São João da Madeira, com emissor no concelho de Oliveira de Azeméis e que melhorará a cobertura no Porto e a Sul da Cidade Invicta até às região de Aveiro/ Ílhavo/Águeda, pelo menos.

Antena 1, uma rádio mais inclusiva em 2021!

Se, como escreveu Antoine de Saint-Exupéry, "o essencial é invisível aos olhos", uma frase que, retirada do contexto, se pode aplicar à rádio, não é menos verdade que há quem não possa ouvir rádio porque não possa simplesmente ouvir.

Estima-se que existam em Portugal 100000 a 150000 pessoas surdas ou com deficiência auditiva. Pessoas que jamais serão ouvintes de rádio. Contudo, a Antena 1 passa a prestar um verdadeiro serviço público dirigido todos os homens, todas as mulheres e a todos os jovens que não conseguem ouvir e compreender as palavras faladas pelo altifalante do receptor de rádio.


Uma excelente iniciativa que deveria ser adoptada por outras estações de rádio!


terça-feira, janeiro 05, 2021

Concerto inaugural da presidência portuguesa da União Europeia com transmissão na Antena 1

Porque importa destacar alguns eventos culturais que passam na rádio, o concerto inaugural da presidência portuguesa será transmitido também, a par da RTP-televisão, na Antena 1. O espectáculo, que inclui artistas como Carminho, Ana Moura, Sara Correia, Camané e a guitarrista Marta Pereira da Costa, será acompanhado pela Orquestra Sinfónica Portuguesa, dirigida pela maestrina Joana Carneiro. A não perder esta terça-feira, a partir das 18h30, no primeiro canal da rádio pública portuguesa.

sexta-feira, janeiro 01, 2021

Faleceu Carlos do Carmo - e a rádio portuguesa não ficou indiferente

Morreu o Senhor (com "S" maiúsculo) do Fado. A história de vida do grande fadista Carlos do Carmo confunde-se com a história do Fado das últimas décadas - e às qual as rádios portuguesas contribuíram significativamente através da divulgação da música genuinamente portuguesa, cantada em português e reflectindo a cultura do nosso país.

Depois de ter um ano de 2020 para esquecer, Portugal começou o ano com mais uma má notícia; contudo, importa popreferir que a maioria das rádios, incluindo as mais ligadas à informação, nomeadamente a Antena 1, a Rádio Renascença, a Rádio Observador e a TSF, não ficou indiferente ao falecimento do cantor e muitas tocaram uma ou mais músicas do artista; em especial, a Rádio Amália chegou a tocar várias das músicas 0menos conhecidas do fadista. Independentemente do gosto musical de cada um, é inegável que o artista Carlos do Carmo deixa uma marca indelével no Fado e na música portuguesa em geral; razão mais que suficiente para que as rádios tenham - e bem - prestado a homenagem merecida ao cantor. Que o enorme Carlos do Carmo descanse em paz.