sábado, outubro 16, 2021

Faleceu Luís Henrique Botelho

Uma curta nota para lamentar a morte de Luís Henrique Botelho, profissional da RDP Internacional que fez companhia aos ouvintes do "Clube da Amizade" e do "Longo Curso", a partir dos estúdios da RDP Centro. Que descanse em paz.

segunda-feira, outubro 11, 2021

Mais um tiro no pé da TSF: sinal zero no Túnel do Marão!

Se já não bastavam os vários problemas técnicos que têm afectado a rede de emissores da TSF nos últimos meses, quem viaja por Trás-os-Montes a ouvir a estação depara-se com o facto de já não poder sintonizar os 107,6 MHz no Túnel do Marão (por onde passa a auto-estrada A4, entre Amarante e Vila Real).

É uma situação preocupante, na medida em que os emissores que cobrem o interior da estrutura que "rasga" a Serra do Marão são essenciais na eventualidade de surgir algum problema e haver a necessidade imediata de alertar os condutores para a situação - e a rádio, por não exigir atenção visual, é o meio mais seguro para o fazer. Sem esquecer os ouvintes que gostariam de continuar a acompanhar a actualidade através da TSF e que deixaram de o poder fazer a caminho ou a sair de Vila Real.

Recorde-se que a Antena 1, a Antena 3 e a Rádio Renascença têm também emissores no túnel, contudo tal não justifica que o emissor da rede regional Norte esteja inoperacional. Uma situação que deveria ser rapidamente normalizada.

Actualização (20/10/2021): situação entretanto normalizada. Obrigado, P. Pinto, pela informação.

domingo, outubro 10, 2021

"Palco de Distorção", aos sábados na Rádio Renascença

Não costumo criticar programas da Rádio Renascença, mas desta vou abrir uma excepção, até porque se trata de uma questão exclusivamente técnica e não do conteúdo do programa.

Quem ouve a emissora católica portuguesa nas noites de sábado sabe que a partir das 23 horas tem o "Palco Principal", um programa onde são tocados vários temas de um dos álbuns de um determinado artista ou de uma banda. Um espaço radiofónico muito interessante, que constitui uma boa alternativa às playlists repetitivas das estações de rádio - e que valeria a pena ouvir, não fosse o caso de - como diz o povo - no melhor pano cair a nódoa.

A "nódoa" é o processamento de som intragável, para não dizer péssimo. Na audição hertziana da Renascença, através da rede nacional de emissores em FM, o áudio estéreo tem alguns artifícios. Para piorar as coisas, o áudio em mono "sai" carregadíssimo de artifícios, como se se tratasse de um "stream" a 32 kbps ou com um bitrate ainda mais baixo. Escutar Barclay James Harvest ou Peter Gabriel com um som completamente artificial e distorcido é simplesmente horrível. Até uma cassete analógica do tipo I (ferro) gravada num deck sem Dolby B soaria melhor do que a emissão da RR.

Provavelmente, o problema reside nos ficheiros de áudio, que poderão estar a utilizar "full stereo" em vez do "joint stereo". Em todo o caso, estamos certos que no ano de 2021 não é nada de outro mundo utilizar um software para converter ficheiros noutro formato. E nem sequer será imprescindível recorrer a uma solução informática paga: um bom exemplo de solução gratuita e bastante completa é o "fre.ac".

Eu tenho a consciência que a informação sonora "saída" dos estúdios da RR passa por várias etapas de processamento para ser transmitida para o satélite e descodificada pelos receptores de satélite que alimentam os emissores FM e de Onda Média. Contudo, se mesmo com compressão com perdas (lossy) o som da emissão "normal" é bastante decente, não se compreende como é que a equipa responsável pelo funcionamento do programa, incluindo os técnicos, não tenta reduzir ao mínimo as alterações ao sinal de áudio original. Na era onde facilmente se compra online um álbum em formato FLAC (ou até em CD, mormente se estiver em promoção) por menos de 10€, não seria nada difícil converter os ficheiros de áudio ou "ripar" o CD para MP3 ou AAC com um bitrate elevado e joint stereo.

Rádio é conteúdo mas também é som. Por vezes, bastam pequenos ajustes nas configurações do software para que um áudio mais do que processado e reprocessado "saia" com uma qualidade razoável em vez de uma qualidade execrável. Os ouvintes agradecem.

sábado, outubro 09, 2021

Radiodays Europe arranca hoje em Lisboa

Entre hoje, dia 9, e a próxima segunda-feira, dia 11 de Outubro de 2021, o Centro de Lisboa vai ser o palco do "Radiodays Europe", um evento anual que reúne profissionais e empresas ligadas ao sector da rádio.

A organização portuguesa inclui os três maiores grupos de rádio no nosso país: a RTP, o Grupo Renascença e a Media Capital Rádios.

Para quem tiver interesse em conhecer melhor o evento, pode visitar o site do "Radiodays Europe". Uma coisa é certa: a rádio terá sempre futuro assim continue a haver quem queira fazer rádio e quem queira ouvi-la. A tecnologia pode evoluir, os gostos podem mudar, mas a rádio, o "camaleão" dos media, pode e deve adaptar-se às circunstâncias para continuar a ser relevante. É esta a mensagem que um evento como o "Radiodays Europe" deve transmitir aos profissionais e aos ouvintes.

terça-feira, outubro 05, 2021

Rádio Esperança inicia as emissões regulares hoje, dia 5 de Outubro

A Rádio Esperança (97,5 MHz Portel) inicia hoje, dia 5 de Outubro de 2021, as emissões regulares. A inauguração da rádio da Arquidiocese de Évora, que decorrerá a partir das 17h00, será presidida pelo próprio arcebispo, D. Francisco Senra Coelho.

Importa esclarecer que a estação alentejana vai produzida pelo Departamento de Comunicação da Arquidiocese de Évora, com o apoio da comunidade católica Canção Nova, tratando-se de uma rádio que não está subordinada à Canção Nova ou à Rádio Renascença, não obstante retransmitir um ou outro programa destas estações religiosas. Vai ser uma estação local com alvará para o concelho de Portel mas com estúdios em Évora (da extinta Voz do Alentejo da Rádio Renascença e, mais tarde, da Rádio Sim Alentejo) e que promete uma programação generalista, sem descurar a matriz católica que a caracteriza.

Aos profissionais da Rádio Esperança, resta-me desejar a melhor das sortes. Cá estaremos para vos ouvir.

quinta-feira, setembro 30, 2021

Emissores da RTP-rádio na Lousã operam através de um sistema radiante provisório

Confirma-se: a RTP está a utilizar um sistema radiante provisório na Serra da Lousã, que opera com potência reduzida,  por forma a manter em funcionamento das frequências da Antena 1, Antena 2 e Antena 3 enquanto procedem aos trabalhos de manutenção, que, como já referi numa publicação anterior, incluem a substituição dos elementos radiantes.

Ao que se sabe, a intervenção técnica na Lousã deverá demorar cerca de duas semanas (se as condições climatéricas o permitirem), pelo que as dificuldades de recepção das três estações sentidas nalgumas zonas da área de influência do centro emissor do Trevim deverão manter-se nos próximos dias.

Aos ouvintes afectados, recordo que a Antena 1 tem emissores em Coimbra (94,9 MHz) e Santarém (98,8 MHz), frequências que podem constituir uma alternativa de escuta confortável aos 87,9 MHz. No Ribatejo e Sul da Beira Litoral, é possível ouvir a Antena 1, a Antena 2 e a Antena 3 através das frequências do Montejunto (98,3, 88,7 e 105,2 MHz, respectivamente); na região de Leiria/Fátima, através das frequências da Maunça/ Batalha (98,7, 104,2 e 106,4 MHz). Para os ouvintes localizados no distrito de Aveiro, as melhores alternativas são as frequências do Atestal (Antena 1 - 106,7 e Antena 2 - 95,2 MHz) e, em especial a Norte de Aveiro, as do Monte da Virgem (Antena 1 - 96,7, Antena 2 - 92,5 e Antena 3 - 100,4 MHz).

Importa acrescentar que em grande parte da região Centro é possível escutar a Antena 1 também na Onda Média (630 kHz Montemor-o-Velho).

Não existe mundo ideal. Não é possível exigir que o operador público invista na manutenção da rede de emissores sem que os ouvintes tenham de aceitar alguns constrangimentos provisórios. Contudo, espero que esta intervenção no Trevim permita, dentro de alguns dias, às três "Antenas" fazerem-se ouvir melhor em toda a região coberta pelas frequências da Lousã.

terça-feira, setembro 28, 2021

RTP realiza trabalhos de manutenção nos emissores FM no alto da Serra da Lousã

Os técnicos da RTP encontram-se a realizar trabalhos de manutenção, incluindo e substituição dos elementos radiantes, na torre do centro emissor da Serra da Lousã (Trevim), afectando a Antena 1 (87,9 MHz), Antena 2 (89,3 MHz) e Antena 3 (102,2 MHz).

É bem provável que as frequências referidas estejam agora a ser, de forma provisória, radiadas a partir de um sistema radiante alternativo com potência reduzida. Do que posso verificar, num local favorável à recepção das emissões do Trevim mas longe da área primária de cobertura dos emissores, a mais de 160 km em linha recta, na cidade de Évora, os sinais das frequências das três rádios públicas é, neste momento, muito fraco, contrastando com as frequências da RR (106,0), RFM (91,7), TSF (107,4) e até, sendo certo que não emite do Trevim, da Rádio Comercial (90,8 MHz).

Pode haver perturbações na recepção, mas tal acontece por um bom motivo. A RTP tem, nos últimos tempos, investido na manutenção das redes de emissores das três rádios nacionais e da RDP África - e ainda bem. A rádio pública tem a obrigação de se fazer ouvir em boas condições por todo o território nacional. E investir no reforço da cobertura nas zonas problemáticas onde, no ano de 2021, nem sequer a Antena 1 se escuta de forma satisfatória, quanto mais a Antena 2 e a Antena 3!

P.S. Já agora, se os estimados leitores do blogue localizados na área de cobertura radioeléctrica dos emissores do Trevim quiserem comentar esta publicação, descrevendo as condições de recepção das frequências da RTP no local onde se encontram, agradeço a colaboração!

quarta-feira, setembro 22, 2021

Graça Franco vai ser a Provedora do Ouvinte da RTP

Já se sabe quem vai substituir João Paulo Guerra como provedor da rádio pública. Se o Conselho de Opinião "acender" a luz verde, não vai ser mais um provedor mas sim a segunda Provedora do Ouvinte da RTP: a jornalista Graça Franco, antiga directora de informação da Rádio Renascença entre os anos de 2009 e 2020.

De salientar que, pela primeira vez desde que existe na RTP o Provedor do Telespectador e o Provedor do Ouvinte, os cargos serão, em princípio, ocupados em simultâneo por duas mulheres jornalistas. Duas boas escolhas que provam que o mérito e a competência na área do jornalismo não é um exclusivo do género masculino.

Nota: Por lapso, no texto original desta publicação, referi que Graça Franco seria a primeira Provedora do Ouvinte. Com efeito, trata-se da segunda - a primeira foi a investigadora Paula Cordeiro. Obrigado, P. Pinto, pela correcção.

quinta-feira, setembro 16, 2021

Rádios da Media Capital vendidas ao grupo britânico Bauer Media?

Segundo o jornal "i", a Media Capital estará prestes a concluir o negócio da venda das rádios do grupo (Rádio Comercial, M80 Rádio, Cidade FM, Smooth FM e Vodafone FM) ao grupo britânico "Bauer Media Group UK", com origem na Alemanha.

Importa mencionar que o grupo Bauer está presente em vários países, e subsidiária britânica é proprietária de diversas estações do país liderado pela rainha Isabel II, incluindo a "Absolute Radio", a "Kiss" ou a "Magic Radio".

A concretizar-se o negócio, a Media Capital abandona o mercado da radiodifusão, já que o grupo Bauer deverá adquirir a totalidade da operação da MCR (Media Capital Rádios). Resta saber que efeitos terá a mudança de proprietários nas cinco rádios - teremos de esperar por futuros desenvolvimentos...

segunda-feira, setembro 06, 2021

TSF: Avarias & Avarias Group

Permitam-me a ironia de sugerir que a Global Media Group, a holding dona da TSF, mude de designação para "Avarias & Avarias Group". Se já era muito mau para a TSF manter o emissor de Braga inoperacional durante vários dias, ou deixar o emissor da Marofa em portadora também por um período de tempo relativamente prolongado, eis que os emissores do Muro (Serra Amarela) e da Lousã estiveram recentemente também desligados durante algum tempo, muito provavelmente dias. 

Importa sublinhar que o emissor do Muro (106,5 MHz) é "só" o emissor que cobre grande parte do Minho; para piorar as coisas, o emissor instalado no alto do Trevim (Serra da Lousã), é simplesmente o emissor da TSF com maior cobertura radioeléctrica em Portugal, ouvindo-se não somente na região Centro mas também em Lisboa, nalgumas zonas do Alto Alentejo e até interfere a Rádio Voz de Santo Tirso (que emite na mesma frequência, 107,4 MHz) no Grande Porto.

Com demasiadas falhas graves na manutenção da rede de emissores, e socorrendo-me de algum sarcasmo, suponho que, neste este estado de coisas, a direcção da TSF e, sobretudo a administração da Global Media tenham estado a pensar como vão testar a nova tecnologia de difusão de notícias em tempo real, destinada a compensar as falhas do FM. E não, não me refiro à rádio digital no sistema DAB/DAB+ ou a algum "codec" novo para stream online de alta fidelidade. Refiro-me à tecnologia "ultra-moderna" da rede nacional de fogueiras - sim, uma TSF (Telefonia via Sinais de Fumo)...

terça-feira, agosto 31, 2021

Emissor da Rádio Imagem (87,6 MHz Fornos de Algodres) vandalizado!

A Rádio Imagem (87,6 MHz Fornos de Algodres, no distrito da Guarda) viu o centro emissor ser vandalizado, tendo sido furtados alguns equipamentos. Esta situação obrigou a rádio a suspender as emissões FM.

Independentemente das motivações que levaram ao sucedido, espero que os criminosos execráveis e sem escrúpulos sejam identificados e levados à justiça.

Ainda há rádios locais que incomodam - e ainda bem! Destruir o patrocínio duma rádio significa atentar contra a liberdade de informação e de expressão, contra os profissionais da estação que querem trabalhar para serem ouvidos e contra os ouvintes que, permitam-me o pleonasmo, querem ouvir a estação da sua terra. Não posso deixar de me silidarizar com os responsáveis e profissionais da Rádio Imagem, desejando que a emissora local de Fornos de Algodres consiga reestabelecer as emissões hertzianas tão depressa quanto possível.

sábado, agosto 28, 2021

Rádio Observador emite provisoriamente a partir da Amadora

A Rádio Observador trocou provisoriamente o concelho de Lisboa pelo da Amadora, passando a realizar as emissões a partir dos estúdios da ex-Fi FM.

Esta mudança temporária deve-se à realização de obras no edifício da redacção do jornal e dos estúdios da rádio, em Lisboa, que decorrem até meados do mês de Outubro.

quarta-feira, agosto 25, 2021

TSF: emissor da Marofa (105,4 MHz) em portadora e sem RDS há dias!

Não há qualquer dúvida: a TSF vai de mal a pior, incluindo a parte técnica.

O emissor da Serra da Marofa (105,4 MHz), que serve a Beira interior, incluindo o vale do Côa, o Alto Douro oriental e até a zona de Vilar Formoso, encontra-se em portadora há vários dias, sem emitir o áudio da TSF nem os dados do RDS.

Infelizmente, a precariedade nas condições de funcionamento da rede de emissores já se nota de Norte a Sul do país, verificando-se uma degradação considerável da qualidade de som dos emissores e da cobertura radioléctrica de alguns dos emissores. Já o disse mas insisto, é triste assistir à destruição progressiva duma rádio que foi  (já não o é) uma referência em Portugal.

terça-feira, agosto 24, 2021

Myanmar confisca rádios com Onda Curta!

Se dúvidas houvesse que em 2021 as emissões em Onda Curta ainda incomodam regimes políticos, uma notícia recente dá conta da nova forma de censura por parte da junta militar que governa com pulso de ferro Myanmar, a antiga Birmânia.

O governo exilado por força da ditadura militar lançou a Rádio NUG, uma estação anti-regime transmitida em Onda Curta para o país asiático. A solução? Ordenar o confisco dos rádios com Onda Curta que estejam à venda nas lojas. Depois da proibição das antenas parabólicas e das restrições no funcionamento da Internet, a única coisa que o regime podia fazer contra as emissões hostis era tentar conter os danos, evitando que mais ouvintes sintonizem estações de rádio que emitam a partir do estrangeiro.

Para quem estiver em Portugal, é possível tentar escutar a Rádio NUG nos 17710 kHz em dois períodos do dia: a partir das 2h30 (hora portuguesa, 1h30 UTC) e a partir das 14h30 (13h30 UTC). Obviamente que quem estiver noutro país poderá sintonizar a frequência referida, devendo para o efeito determinar os horários na hora local do país onde se encontra.

Não há dúvida que a rádio tem uma característica inegualável por qualquer outro meio de comunicação: a capacidade de atravessar fronteiras sem que no território de destino das emissões seja possível fazer muito mais do que empastelar, interferir deliberadamente as emissões, ou confiscar receptores.

sexta-feira, agosto 20, 2021

Fama Rádio (Vila Nova de Famalicão) deslocaliza o emissor principal para chegar melhor e mais longe

Segundo a informação cedida pelo utilizador "Rochinha Mike" no grupo " Mundo da Rádio" na rede social Facebook, a "Fama Rádio", estação local do concelho de Vila Nova de Famalicão (distrito de Braga) e que opera nos 105,0 (emissor principal) e nos 96,4 MHz (microcobertura), procedeu à deslocalização do emissor dos 105,0 MHz para o Monte de Nossa Senhora da Assunção, Monte Córdova, no concelho de Santo Tirso, a cerca de 500m de altitude, utilizando uma torre com mais de 50m de altura.

Com esta mudança, a "Fama Rádio" deverá fazer-se ouvir melhor no Minho e na Área Metropolitana do Porto; contudo, a cobertura a Sul deverá ser limitada pela presença da Rádio Terra Nova, com emissor na Gafanha da Nazaré (Ílhavo), na mesma frequência (105,0).

quarta-feira, agosto 18, 2021

A rádio, o meio que pode levar informação, música, desporto e entretenimento a quem vive com medo

O mundo assistiu incrédulo ao regresso do regime talibã ao Afeganistão. Enquanto se assiste à fuga desesperada de quem receia ser brutalmente punido ou até morto pelos radicais, os talibãs não perderam tempo a implementar a "Voz da Sharia", a estação que substitui o formato anterior da rádio pública do país. A partir de agora, as emissões nos 1107 kHz cumprem a versão mais fundamentalista da lei islâmica. Não se sabe o que vai acontecer às restantes rádios do país asiático.

Com a comunicação social dominada por um regime cruel que não respeita os mais elementares direitos humanos, eu diria que um acto de coragem no Afeganistão é ligar um rádio na Onda Curta ou na Onda Média para ouvir estações mais liberais do que a visão extremista dos talibãs. A Voz da América e o Serviço Mundial (World Service) da BBC são duas das estações que emitem nas línguas dari e pastó para o Afeganistão. 

Também a Voz da Turquia, a Rádio Internacional da China, a All India Radio e até a Voz da República Islâmica do Irão e a rádio saudita emitem também na Onda Curta para o Afeganistão. Uma coisa é certa: a rádio não conhece fronteiras e consegue fazer-se ouvir mesmo num país onde nos próximos tempos vai ser incómoda para o poder religioso e político.

Diria que um dos grandes medos dos afegãos que não se revêem no fundamentalismo vai ser o de ser apanhado a ouvir uma estação de rádio proibida pela visão radical da religião islâmica. Ouvir uma rádio não simpatizante da causa talibã sem que ninguém se aperceba vai ser um acto heróico para muitos afegãos.

Para quem tiver curiosidade em saber a situação das rádios afegãs e as emissões internacionais dirigidas ao Afeganistão, sugiro a consulta deste guia publicado por um grupo de DX britânico.

terça-feira, agosto 17, 2021

Carlos Vaz Marques sai da TSF e vai processar judicialmente a Global Media

Se a TSF foi uma rádio de referência em Portugal, o tempo verbal desta frase diz tudo: pretérito perfeito. Passado. Já não é, infelizmente.

O jornalista Carlos Vaz Marques, autor de programas que marcaram a história da TSF, como “O Livro do Dia”, “Pessoal e… Transmissível” e moderador do “Governo Sombra”, com Ricardo Araújo Pereira, anunciou que está de saída da estação onde trabalhou durante 31 anos. Numa extensa publicação na rede social "Facebook", o profissional anunciou a sua indignação com o processo que o leva a sair da estação, qualificando-o como "bullying profissional".

Carlos Vaz Marques não aceita as situações vexatórias a que foi sujeito nos últimos meses e promete recorrer ao tribunal.

É triste, muito triste assistir à progressiva destruição da TSF. O grande Emídio Rangel já deve ter dado voltas na campa ao ver que a rádio que construiu está a degradar-se dia após dia. Emissores avariados, programas cancelados, profissionais despedidos e um mal-estar instalado nas redacções da TSF e das publicações do grupo Global Media são algumas das situações que têm colocado em causa o funcionamento da TSF.

quarta-feira, agosto 04, 2021

RTP reactiva emissor de Onda Média da Antena 1 em Lamego (756 kHz)

Boa notícia para a Onda Média em Portugal. A RTP reactivou o emissor da Antena 1 em Lamego (756 kHz 2 kW).  Segundo  P. Pinto, o emissor da Nautel, instalado na Serra das Meadas e que serve a região central do Alto Douro (Lamego, Armamar, Peso da Régua, Sta. Marta de Penaguião, Mesão Frio e Sabrosa), esteve inoperacional por mais de 18 meses devido à avaria de um dos componentes.

De referir que os técnicos da rádio pública procederam nos últimos meses a trabalhos de melhoramento dos emissores de Onda Média em Miranda do Douro, Mirandela, Viseu, Guarda e Covilhã, depois de terem sido afectados por problemas técnicos. Inclusivamente, os técnicos da RTP desenvolveram um sistema único de telemetria para a rede de emissores OM.

Importa acrescentar que, apesar dos contrangimentos financeiros, a Direcção de Engenharia, Sistemas e Tecnologias  da RTP tem igualmente procedido à realização de intervenções técnicas em vários emissores de macrocobertura  (grande potência) constituintes das redes nacionais FM da Antena 1, Antena 2 e Antena 3, de Norte a Sul de Portugal, incluindo os arquipélagos da Madeira e dos Açores. Os trabalhos incluem a substituição progressiva de emissores por outros de última geração energeticamente mais eficientes, bem como a substituição e/ou reafectação de sistemas radiantes, além de outros aspectos técnicos (novos tripléxeres, geradores de estéreo, etc.).

Há que agradecer aos técnicos da Direcção de Engenharia, Sistemas e Tecnologias da rádio pública o esforço e dedicação, decerto que com sacrifício, em prol dos ouvintes da Antena 1, Antena 2, Antena 3 e RDP África. Os verdadeiros heróis da RTP aqueles que sobem e descem torres, montam e desmontam antenas de rádio. Figuras desconhecidas do público, que nunca os vê na televisão ou ouve a sua voz na rádio, mas que fazem os possíveis e os impossíveis para que os ouvintes possam sintonizar os vários canais da RTP-rádio.
Porque para que a rádio seja ouvida, é fundamental que os emissores funcionem. A título pessoal tenho a dizer: muito obrigado, RTP! Muito obrigado, senhores da Direcção de Engenharia da RTP pelo empenho, apesar do orçamento magro, em recuperar as redes de emissores condenadas ao desinvestimento por parte das sucessivas administrações da RTP. E, sobretudo, muito obrigado aos técnicos, quais valentes guerreiros, que trabalham ao calor e ao frio, nos dias de sol ou de chuva, por vezes até com neve, com saraiva e outros rigores do Inverno desagradáveis. Sem emissores, uma rádio não é uma rádio - os ouvintes que não possam ouvir via Internet, satélite ou através da "box" da TV (basta pensar num corte generalizado da energia eléctrica), dependem das ondas electromagnéticas irradiadas nas faixas de Onda Média ou de VHF-FM para acompanharem as notícias.

quinta-feira, julho 29, 2021

73 anos a servir a população da Guarda e da Beira Alta: parabéns, Rádio Altitude!

 A mais antiga rádio local em actividade em Portugal está hoje de parabéns! A Rádio Altitude celebra hoje 73 anos de emissões regulares; primeiro ao serviço do sanatório da Guarda e mais tarde a toda a população da Guarda e da região.

Tendo sido das poucas rádios privadas que sobreviveram à onda de nacionalizações do pós-25 de Abril, a Rádio Altitude é hoje a única estação local do continente que sobreviveu à ditadura, ao 25 de Abril, a todas as mudanças políticas e económicas e aos desafios técnicos que ao longo dos anos têm condicionado a actividade radiofónica.

Vale a pena conhecer a história da Rádio Altitude e, sobretudo, ouvir a estação nos 90,9 MHz do FM ou através do site. Parabéns pelas 73 primaveras, Rádio Altitude!

quarta-feira, julho 28, 2021

Rádio "é sistematicamente subestimada no seu papel de segurança nacional"

O título que escolhi para esta publicação cita ipsis verbis as palavras de Manuel Coelho da Silva, presidente do Conselho de Opinião da RTP, ditas há dias no parlamento.

Para melhor contextualizar, vou citar na íntegra o parágrafo:

"A rádio é sistematicamente subestimada no seu papel de segurança nacional, aliás, o Conselho de Opinião tem tomado posição muito clara sobre essas matérias. Chamámos a atenção neste contrato de concessão que havia uma ausência de clarificação sobre o papel da rádio na segurança nacional".

O CO da RTP tem toda a razão! Basta pensar em catástrofes como as inundações recentes na Alemanha e outros países europeus, ou os incêndios em Portugal em 2017, para se reconhecer que, quando a electricidade é cortada, as antenas das redes móveis ficam inoperacionais, a rádio é o meio que chega onde os outros meios não conseguem chegar. O pequeno aparelho a pilhas que temos em casa pode prestar informações cruciais à segurança de pessoas e bens durante ou imediatamente após uma catástrofe. É por esta razão que considero um erro o fim progressivo da Onda Média em Portugal, quando se sabe perfeitamente que o alcance de um emissor de OM é substancialmente superior ao de um emissor FM. Mesmo um emissor OM de 10 kW consegue atingir uma distância superior a 100 km.

Se uma catástrofe natural ou qualquer outro evento inviabilizar a operação dos emissores FM no alto do Trevim (Serra da Lousã) ou na Serra do Montejunto, para dar dois exemplos,  grande parte da região centro (no primeiro caso) ou a região Oeste, o Ribatejo e até algumas zonas do Alentejo ficam sem conseguir escutar em condições razoáveis as rádios nacionais.

No caso de problemas graves no Trevim, apenas a Antena 1 um emissor operacional alternativo para Coimbra (94,9 MHz). Contudo, e graças aos 630 kHz de Montemor-o-Velho, a rádio pública seria a única que conseguiria fazer-se ouvir do Ribatejo até ao Norte. Sem a qualidade de som do FM, quiçá com algum ruído eléctrico, mas entre não ouvir e ouvir na Onda Média, creio que a segunda opção é a melhor - e a mais segura para as populações locais.

Se as torres no Montejunto caíssem na sequência de uma tragédia nacional de dimensões consideráveis, a cobertura na Grande Lisboa, região Oeste e Ribatejo ficava limitada aos emissores de Lisboa, Lousã, uma microcobertura da Antena 1 em Santarém, os emissores da rádio pública na Banática e os emissores da RR e da RFM na Arrábida. Grande parte da população a Norte de Lisboa teria sérias dificuldades para conseguir ouvir de forma satisfatórias as notícias- seja na Antena 1, seja na RR, seja, por hipótese, na RFM. Excepto quem conseguisse ouvir os 630 kHz ou os 666 kHz da Antena 1. Há quem lhe chame velha, há quem lhe chame desactualizada, mas à Onda Média eu chamo redundância.

terça-feira, julho 27, 2021

Rádio Renascença com emissor inactivo há mais de um mês!

relatei a situação no passado mês de Junho, mas a situação persiste. A microcobertura para a cidade de Elvas da Rádio Renascença (102,3 MHz 100W) encontra-se há mais de um mês inoperacional, aparentemente devido a avaria.

Não deixa de ser uma situação lamentável, para não dizer inaceitável para uma estação com a história e a importância da emissora católica portuguesa - tanto mais que o pequeno retransmissor não é supérfluo em determinadas zonas da cidade de Elvas e arredores - e nem os 99,8 (Vila Boim), nem os 95,3 MHz (Serra de São Mamede- Portalegre) fazem milagres. Sim, avarias acontecem, é certo, mas manter um emissor inoperacional durante semanas e semanas (mais de um mês), sem encontrar uma solução técnica que ofereça o mínimo dos mínimos de condições é, no mínimo, uma falta de respeito pelos ouvintes. Espero que ninguém me interprete mal, eu compreendo que os técnicos fazem o que podem para assegurar o funcionamento de dezenas de emissores, mas não creio que seja razoável prolongar esta situação durante demasiado tempo. E se fosse o emissor da Lousã ou da Arrábida, será que já teria havido uma solução técnica (e quiçá financeira, se necessário...) para o problema?

segunda-feira, julho 26, 2021

Rádio Paradiz: muito provavelmente, a primeira rádio pirata em Portugal

Porque a rádio é feita de História e histórias, importa referir uma ou outra praticamente desconhecida mas que merece ser recordada.

Rádios piratas em Portugal. Se a primeira ideia que vem à mente da esmagadora maioria dos leitores deste artigo são as centenas de rádios livres que operavam de Norte a Sul de Portugal nos anos 80, e uma outra no final dos anos 70 (Rádio Imprevisto/Rádio Juventude), a verdade é que a primeira emissão pirata conhecida remonta ao final dos anos 50.

O livro "As rádios locais em Portugal - da génese ao online", da autoria de Luís Bonixe conta a história da Rádio Paradiz.

Ano de 1958. Em Pernes (distrito de Santarém), o jovem aprendiz de electrónica José Paradiz coloca no ar a "Rádio Paradiz". Feita por uma equipa de jovens com menos de 18 anos, a estação transmitiu de 1958 a 1962, altura em que foi encerrada pelas autoridades, o que obrigou a equipa a andar fugida durante uns tempos.

Não se sabe muito mais a respeito da estação, ainda que, contrariamente ao que o livro sugere, eu acredito que não tenha sido a única rádio pirata a funcionar durante o Estado Novo. Claro que à época as coisas tinham de ser feitas no maior sigilo, contudo acredito que possa ter havido pontualmente uma ou outra emissão pirata noutras zonas do país.

Voltando a 1958, e para melhor contextualizar, importa referir que o primeiro transístor, componente electrónico que revolucionou as décadas seguintes, foi apresentado em 1947; a nível nacional, o então Centro Emissor Ultramarino da Emissora Nacional (mais tarde o CEOC (Centro Emissor de Onda Curta), próximo de Canha e Pegões, foi inaugurado em 1954; no mesmo ano, os técnicos do Rádio Clube Português construíram o primeiro emissor de rádio en frequência modulada (FM) em Portugal. Muito provavelmente, o emissor da Rádio Paradiz foi construído com válvulas e outros componentes electrónicos da época; tudo artesanal e sem grandes meios. A estação resumia-se, quase de certeza, a um pequeno emissor de Onda Média, um ou dois microfones e talvez um gira-discos. Se alguém tiver conhecimento de algum pormenor adicional a respeito da Rádio Paradiz ou algum dado a respeito de outra estação pirata praticamente desconhecida, ficaria muito grato se me dessem a conhecer tal informação.

Para terminar, saliente-se que o mesmo José Paradiz foi um dos impulsionadores da Rádio Local de Pernes, criada em 1980. Ironicamente, se Pernes foi uma terra de liberdade radiofónica, a Rádio Pernes foi, infelizmente, vendida há poucos anos a uma seita religiosa que ocupa as duas frequências no concelho de Santarém a prometer milagres... Vale a pena ouvir a edição do dia 13 de Fevereiro de 2020 do "Código Postal" da Rádio Observador.

sexta-feira, julho 23, 2021

Mais DX transatlântico de emissores açorianos!

Se as duas últimas publicações neste blogue podem ter impressionado positivamente alguns leitores, sobretudo os naturais e/ou residentes nos Açores, a temporada de captações de emissores do arquipélago registadas no outro lado do Oceano Atlântico não acabou.

Na passada quarta-feira dia 21, o DXista Bryce Foster conseguiu captar, em Cape Cod (Massachusetts, nos Estados Unidos) os 87,7 MHz da Antena 3 (Pico da Barrosa), os 88,5 MHz da Rádio Atlântida (Ponta Delgada, com emissor no Pico da Barrosa), os 96,7 MHz da Antena 1 Açores (Pico Alto de Santa Maria, na ilha de Santa Maria). 

No mesmo dia, o Dxista Larry Horlick captou em Coley's Point (Terra Nova, Canadá), não só a Antena 3 nos 87,7, como também a Antena 1 Açores nos 90,5 MHz (Serra de Santa Bárbara, ilha Terceira) e nos 88,9 MHz (emissor do Cabeço Gordo, na ilha do Faial).

Em especial para quem se encontra na costa portuguesa e, em particular, nos Açores, quem sabe se não será possível captar no FM e identificar algum emissor de uma qualquer estação americana ou canadiana? Vale a pena ficar atento ao éter!

sábado, julho 10, 2021

Frequência da Antena 3 no Pico da Barrosa (87,7 MHz) captada no Canadá, a cerca de 4530 km!

E o DX transatlântico continua a surpreender! O emissor da Antena 3 no Pico da Barrosa (São Miguel, Açores), que opera nos 87,7 MHz, foi captado em Grimsby, na província de Ontário, no Canadá, na noite do dia 8 de Julho (noite em Portugal, tarde no Canadá) por William Hepburn. A distância estimada é de cerca de 4530 km.

O William Hepburn até publicou no seu blogue um excerto do "Indiegente", comparando o sinal fraco dos 87,7 MHz com o áudio do podcast do programa apresentado pelo Nuno Calado.

Parece que este mês de Julho tem sido uma verdadeira caixa de surpresas agradáveis no que diz respeito à propagação das emissões FM via E Esporádica com um duplo salto na ionosfera. Será que alguém, dentro da RTP, seria capaz de ter a ousadia de enviar, por sua iniciativa, um QSL ao William Hepburn a confirmar a proeza?

quinta-feira, julho 08, 2021

Mais DX transatlântico de uma rádio portuguesa: Antena 1 (87,9 MHz Lousã) ouvida na Terra Nova (Canadá)!

Depois da captação de emissores açorianos da Antena 2 e Antena 3 no leste dos Estados Unidos, o mês de Julho trouxe outra surpresa: o emissor da Antena 1 na Serra da Lousã (87,9 MHz) foi captado ontem, dia 7 de Julho de 2021, na Terra Nova (Canadá) por Larry Horlick, a cerca de 3657 km do Trevim. O Larry também captou algumas rádios espanholas a mais de 3700 km.

Ao que parece, uma "E esporádica" com dois saltos na ionosfera, explica esta proeza. De referir que as rádios do país vizinho captadas na ilha canadiana foram a "Los 40 Classic", emissor de Segóvia (89,9 MHz), a 3916 km; a "Cadena 100" de Salamanca (90,0 MHz, a 3799 km); a RNE Radio Clásica, emissor de Valladolid/Cerro de San Cristóbal (93,1 MHz, a 3838 km) e o emissor de León/Las Lomas da "Los 40" (88,2 MHz, a 3728 km).

As ondas de rádio não conhecem fronteiras, não conhecem países, não conhecem continentes. Quando as condições o propiciam, é possível estarmos a ouvir o sinal de um emissor sitiado a milhares de quilómetros do local onde nos encontramos.  É isto que torna o DX um passatempo interessante.

terça-feira, julho 06, 2021

A Rádio Sim "morreu"

O derradeiro sobrevivente da rede de emissores da Rádio Sim deixou de emitir a estação sénior do Grupo Renascença. Com efeito, os 97,5 MHz Portel (distrito de Évora) sofreram uma mudança drástica na playlist, ganharam uma sonoplastia nova e, ponto positivo, agora têm noticiários de âmbito regional com a duração de 15 minutos.

A estação identificá-las agora como a "97.5", à espera de adoptar a designação oficialmente aprovada "Rádio Esperança". Do pouco que tenho ouvido, a estação limita-se, por enquanto, a passar música e a transmitir um ou outro programa religioso.

quinta-feira, julho 01, 2021

Histórico! Emissores da Antena 3 no Pico da Barrosa (87,7 MHz) e da Antena 2 na Serra de Santa Bárbara (98,9 MHz) captados no leste dos Estados Unidos!

Quem disse que uma emissão FM não pode chegar longe? Com as condições de propagação certas e a ionosfera a ajudar, um emissor pode ser ouvido a milhares de quilómetros.

Depois de alguns emissores espanhóis captados na América do Norte há alguns dias, o dia de hoje trouxe uma surpresa inédita para a rádio portuguesa: durante alguns minutos, o DXista [entusiasta pela captação de emissões de rádio a grandes distâncias] americano Bryce Foster, residente em Mashpee, uma cidade do estado de Massachusetts, captou hoje, nos 87,7 MHz, o emissor do Pico da Barrosa (São Miguel, Açores) da Antena 3. Uma distância estimada em, mais coisa, menos coisa, 3780 km. Em conversa no "Twitter",  eu confirmei-lhe que também captou a Antena 2 a partir do emissor de Santa Bárbara (98,9 MHz).

Segundo o Bryce, ele também terá captado emissões nos 88,5, 89,6, 90,5 e nos 97,0 MHz. Infelizmente, não existindo qualquer gravação destas últimas, não é possível tentar qualquer identificação. Contudo, quero acreditar que se tenha tratado dos emissores de Santa Bárbara (90,5) e do Pico do Jardim (Graciosa, nos 97,0 MHz) da Antena 1 Açores.

O segredo para tais feitos? "E Esporádica". Um fenómeno de propagação das ondas VHF que permite às emissões FM das rádios, sobretudo as que operam nas frequências mais baixas da faixa 87,5-108 MHz e quando a ionosfera o permite, serem reflectidas de volta para a Terra, fazendo-se ouvir a milhares de quilómetros de distância. As esporádicas ocorrem sobretudo na Primavera e no Verão, pelo que tem sido o tempo de conseguir algumas captações insólitas.

quinta-feira, junho 24, 2021

ERC autoriza "Rádio Esperança" nos 97,5 MHz Portel

O derradeiro sobrevivente da rede de emissores da Rádio Sim tem os dias contados. A ERC (Entidade Reguladora para a Comunicação Social) deliberou autorizar a modificação do projecto da actual "Rádio Sim Alentejo" (97,5 MHz Portel, no distrito de Évora), passando a frequência alentejana a utilizar a designação "Rádio Esperança".

A nova estação, que continua a ser controlada pela Igreja, promete dar destaque à cultura alentejana sem deixar de manter alguns programas de âmbito religioso ao longo do dia. A Rádio Esperança pretende ademais retransmitir alguns noticiários e espaços de informação desportiva (suponho que se refiram à "Bola Branca") da Rádio Renascença. Relativamente aos programas religiosos, a estação vai ter a transmissão diária da Eucaristia e do Rosário a partir de Fátima, recorrendo ao apoio técnico da Rádio Canção Nova (para a retransmissão da missa) e da Rádio Renascença (para o Rosário).

Rádio Foz do Mondego (99,1 MHz Figueira da Foz) vendida aos donos da Rádio Popular de Soure

A Entidade Reguladora para a Comunicação Social (ERC) autorizou recentemente a alteração do domínio do operador "Foz do Mondego - Meios de 
Radiodifusão, Lda." a favor da sociedade " Publiline - Desenho e Publicidade, Lda.", detentora do alvará da Rádio Popular de Soure.

Na prática, e simplificando, a Rádio Foz do Mondego (99,1 MHz Figueira da Foz) passa a ser controlada na totalidade pelos donos da Rádio Popular de Soure (104,4 MHz Soure).

quarta-feira, junho 23, 2021

Rádio Renascença com emissor de Elvas avariado há dias!

Os leitores do blogue sabem que não costumo utilizar este espaço para relatar avarias nos emissores das rádios, salvo em situações de avarias recorrentes, que se prolongam no tempo e que pela sua duração prejudicam os ouvintes. Contudo, há situações em que, creio, uma publicação no blogue se justifica.

O emissor de microcobertura da Rádio Renascença para a cidade de Elvas (102,3 MHz) encontra-se inoperacional há vários dias, situação que não é inédita. Com efeito, o antigo emissor da extinta Voz de Elvas da RR e posteriormente da Rádio Sim antes de regressar à "estação-mãe" tem sofrido avarias nos últimos meses, prejudicando a cobertura radioeléctrica da emissora católica portuguesa na cidade alentejana e nos arredores. As frequências alternativas são a do emissor de Vila Boim (99,8 MHz) e a do emissor de São Mamede (Portalegre), nos 95,3 MHz, duas frequências que apresentam falhas de sinal em certas zonas da cidade de Elvas.

Quem pode agradecer a "cortesia" é a Antena 3, que ganha mais uma frequência audível agora nalgumas zonas de Elvas sem a interferência dos 102,3 . Refiro-me aos 102,4 MHz do emissor do Mendro.

Uma situação lamentável que deveria ser revista rapidamente pela emissora católica portuguesa e, sobretudo, pelos técnicos que trabalham para assegurar as emissões da rádio.

quinta-feira, junho 17, 2021

Rádio Renascença: "Três por Todos", uma emissão especial de 50 horas ininterruptas em directo

Uma breve nota para referir que a Rádio Renascença tem estado a realizar, desde ontem e até amanhã, sexta-feira dia 18, uma emissão especial de 50 horas ininterruptas para apoiar a União Audiovisual.

Uma iniciativa solidária inédita e que destina a apoiar os profissionais do espectáculo. Vale a pena ouvir, quanto mais não seja para saber como podemos contribuir para ajudar um dos sectores mais afectados pela pandemia.

sexta-feira, junho 11, 2021

RTP lança estação temporária "Rádio Euro"... apenas na Internet!

Por ocasião do Euro 2020, a RTP lançou a "Rádio Euro", uma webrádio que acompanha todos os jogos do europeu de futebol.

Infelizmente, o problema, a meu ver, é precisamente ser exclusivamente uma webrádio, quando não era tecnicamente difícil aproveitar - como a rádio pública fez há poucos anos - os emissores de Onda Média que ainda vão funcionando para a Rádio Euro. Dado que algumas zonas do país já não estão, lamentavelmente, cobertas pela Onda Média da Antena 1, a RTP podia instalar pelo menos um emissor temporário para a Rádio Euro no Monte da Virgem ou no Porto, operando nos 102,1 ou nos 96,3 MHz.

Claro que se tratam de frequências sujeitas à pressão de outras estações, mas, na minha óptica, seria preferível uma cobertura limitada a Vila Nova de Gaia e ao Porto do que a rádio não se ouvir de todo num vulgar receptor de rádio localizado na cidade invicta. Com a Onda Média existente, um emissor FM no Porto e talvez mais uma ou outra microcobertura temporária (Braga, Viana do Castelo etc.), grande parte do continente estaria em condições de escutar a Rádio Euro por via hertziana. Afinal, nem todos os ouvintes da rádio pública têm Internet e, mesmo dos que têm, alguns prefeririam poder escutar também no rádio do carro ou no da mesa de cabeceira. Rádio que é rádio a sério só é democrática e universal se conseguir chegar a todos os que a querem ouvir.

terça-feira, junho 08, 2021

TSF sem emissão em Braga!

Que a TSF tem andado nos últimos tempos com problemas técnicos, já sabemos. Contudo, o nível de degradação da rede de emissores da estação atingiu hoje um novo máximo: o emissor de Braga encontra-se inoperacional. O sinal dos 106,9 MHz na cidade dos arcebispos é, neste momento, literalmente nulo.

A situação só não é mais drástica num dos distritos mais importantes do país porque a TSF ainda se vai ouvindo em frequências alternativas, nomeadamente os 105,3 Valongo, os 107,6 Marão e os 106,5 MHz do Muro. Para uma rádio que sempre se orgulhou de passar tudo o que se passa e marcar a diferença na área da informação, é totalmente lamentável que esteja lentamente a definhar e a perder qualidade - em especial, na área técnica. Os bracarenses merecem ouvir a TSF em condições. Esperemos que haja ambição na rádio para reparar de vez as avarias no alto do Sameiro...

terça-feira, maio 25, 2021

RDP África já emite para o Grande Porto nos 91,5 MHz!

A RDP África já emite nos 91,5 MHz a partir do Monte da Virgem (no concelho de Vila Nova de Gaia), servindo a região do Porto com a potência máxima autorizada de 1 kW.

Com esta nova frequência, a RDP África passa a ouvir-se, por via hertziana, em Portugal nas regiões de Lisboa (101,5 MHz), Porto (91,5), Coimbra (103,4) e Faro (99,1 MHz).

segunda-feira, maio 10, 2021

Faleceu Vítor Nobre, um histórico da rádio pública

Faleceu Vítor Nobre, um dos históricos da Emissora Nacional, RDP e RTP-rádio.

Tendo começado a carreira no Rádio Clube de São Tomé e Príncipe, integrou, a partir de 1970, os quadros da Emissora Nacional, onde trabalhou na área do desporto, da informação, foi locutor de continuidade e até na Onda Curta. De Maio de 1974 a Junho de 1975 foi director da RDP Algarve. Mais tarde, nos anos 80, foi "voz-off" de dois programas de televisão.

Já nos anos 90, montou e dirigiu a RDP-Rádio Expo, tendo igualmente chefiado o Serviço de Programas Especiais da Antena 1. Durante 12 anos realizou e apresentou os programas da manhã da Antena 2, o "Allegro Vivace" e o "Despertar dos Músicos". Foi também monitor do Centro de Formação da RDP, formador do CENJOR e docente na Universidade Autónoma de Lisboa.

Mais um dos grandes da rádio que, infelizmente, deixa o mundo dos vivos. A todos os profissionais da rádio pública e, em especial, aos familiares e amigos do Vítor Nobre, apresento as minhas condolências. Que descanse em paz.

quarta-feira, maio 05, 2021

Rádio Maria inicia emissões no dia 13 de Maio

A Rádio Maria, a estação que irá ocupar o lugar da Rádio Sim nos 102,2 MHz Palmela e 100,8 MHz Maia, vai entrar no ar no dia 13 de Maio às 15 horas, a partir da Capelinha das Aparições, no Santuário de Fátima.

Trata-se, evidentemente, de uma data revestida de um grande simbolismo para a comunidade católica portuguesa e que permite à nova estação cobrir as cerimónias inclusivamente nos horários em que a Rádio Renascença não esteja em directo de Fátima. Entretanto, a última frequência da Rádio Sim que vai resistir por mais uns tempos é a de 97,5 MHz (Portel), já que a alteração do projecto aprovado para a ainda Rádio Sim Alentejo não viu, até agora, a luz verde da ERC.

domingo, abril 25, 2021

Smooth FM com site renovado... e frequência errada!

O site da "Smooth FM" foi renovado e, como infelizmente não é a primeira vez nos sites das rádios da Media Capital, no melhor pano cai a nódoa das frequências erradas.

Quem não conhecer as frequências de rádio escutáveis em Lisboa e consultar o site da estação da Smooth FM, depara-se com a seguinte informação: "Lisboa 96.2 103.0" [sic]. Disse bem: quem consultar as páginas Web da estação é levado a sintonizar em Lisboa os 96,2 MHz... até perceber que se trata da Rádio Estádio (96,2 MHz Barreiro), frequentemente em portadora. Como bem sabemos, a Smooth FM opera nos 96,6 MHz...

Não seria muito grave se fosse um lapso isolado numa página, contudo não é a primeira vez que acontece nos sites das rádios da MCR. O site da Rádio Comercial continua a "deslocalizar" a frequência de Elvas (105,9 MHz) do distrito de Portalegre para o distrito de Beja e a Rádio Vidigueira (90,0 MHz) agradece a publicidade gratuita, já que não existe nenhum emissor da Rádio Comercial nos 90,0 MHz. Na verdade, a frequência correcta é a de 95,8 MHz (emissor de Mértola). No que diz respeito ao rigor na geografia e no conhecimento do território e das frequências que se escutam em cada região do país, há quem esteja a transmitir a mensagem triste de trabalhar para a MCR sem conhecer a realidade radiofónica do país. Um erro, lamenta-se. Uma sucessão de erros deveria ser imperdoável numa empresa que tem 5 rádios, incluindo uma nacional que é a mais ouvida no país!

segunda-feira, abril 19, 2021

Rádio Imagem (87,6 MHz Fornos de Algodres) com cobertura radioeléctrica reforçada

Porque importa destacar o investimento nas rádios locais mesmo num ano difícil, a Rádio Imagem (87,6 MHz Fornos de Algodres, no distrito da Guarda) adquiriu recentemente um novo emissor, que permite à estação melhorar as condições de escuta no concelho e na região.

A rádio anunciou também que em breve será instalado um emissor de microcobertura na freguesia de Infias, com o objectivo de reforçar o sinal nalgumas aldeias do concelho de Fornos de Algodres e nalgumas zonas dos concelhos de Trancoso e Celorico da Beira.

quinta-feira, abril 15, 2021

ERC autoriza Rádio Maria nos 102,2 MHz Palmela e 100,8 MHz Maia

A Rádio Maria vai chegar a Portugal, utilizando as frequências da Rádio Sim em Palmela (102,2 MHz) e na Maia (100,8 MHz. com emissor em Valongo). Com efeito, a  Entidade Reguladora para a Comunicação (ERC) autorizou a Rádio Renascença a vender as duas estações à Rádio Maria Portugal e Rádio Maria APS, bem como a alterar as respectivas designações: a "Rádio Sim-Pal" passará a chamar-se Rádio Maria e a "Rádio Sim Porto" passará a ser a Rádio Maria Porto

Importa mencionar que a Rádio Maria é uma associação de estações de rádio católicas de vários países. que, como o nome sugere, emitem conteúdos religiosos. Relativamente à deliberação da ERC, vale a pena referir que a ideia original da Rádio Maria Portugal era ter uma estação temática religiosa nas duas frequências, contudo tal modificação foi "chumbada" pelo regulador. A proposta reformulada, aprovada pela ERC, passa pela manutenção da tipologia generalista em Palmela e na Maia,  sem prejuízo de, obviamente, ter uma componente religiosa.

sexta-feira, abril 09, 2021

Rádios da BBC com emissão simultânea devido ao falecimento do Príncipe Filipe

Devido ao falecimento do Príncipe Filipe, marido da rainha de Inglaterra, quase todas as rádios da BBC (Radio 1, Radio 2, Radio 3, Radio 4, Radio 5, Radio 6, BBC World Service e outras) interromperam a programação habitual e passaram a ter uma emissão simultânea dedicada a esta notícia triste para os britânicos.

Já nas rádios privadas do Reino Unido, se as estações musicais mantém a playlist habitual, do que consegui ouvir, as rádios "LBC London" e "talkRADIO" também falam da vida do duque de Edimburgo.


quarta-feira, março 31, 2021

Rui Pêgo demite-se da direcção de programas da Antena 1, RDP África e RDP Internacional

 O director de programas da Antena 1, RDP África e RDP Internacional, Rui Pêgo, apresentou  um pedido de demissão do cargo, não obstante manifestar a intenção de continuar a colaborar com a rádio pública. O conselho de administração da RTP já aceitou o pedido, tendo sido já escolhido o sucessor do profissional na direcção das três rádios. Trata-se de Ricardo Matos Salvado, actual Director Adjunto da Antena 1.

De referir que a própria administração da RTP se encontra em processo de remodelação, com a saída de Gonçalo Reis da presidência do conselho de administração da empresa e a sua substituição pelo até agora presidente da Lusa, Nicolau Santos. Esperemos que o novo elenco governativo da Rádio e Televisão de Portugal saiba e tenha vontade política para apostar mais na rádio, nomeadamente através do investimento na remodelação dos estúdios que ainda não foram intervencionados, na modernização dos equipamentos técnicos e na renovação do parque de emissores das redes nacionais da Antena 1, Antena 2 e Antena 3, bem como na aquisição de novos emissores para o reforço de sinal nas zonas de sombra que ainda existem no país.

terça-feira, março 30, 2021

96,3 MHz Porto: "Rádio Estação" na Biblioteca Popular de Pedro Ivo

A cidade do Porto tem uma estação temporária activa nos 96,3 MHz. Instalada na Biblioteca Popular de Pedro Ivo, conhecida como Biblioteca do Marquês, a "Rádio Estação" emite até meados do próximo mês de Maio nos 96,3 MHz. Desconhece-se a localização exacta e a cobertura do emissor, sendo praticamente certo que se tratará de uma microcobertura que servirá algumas zonas da Cidade Invicta.

sexta-feira, março 19, 2021

Rádio Observador já emite nos 93,7 MHz Amadora

A Rádio Observador já emite nos 93,7 MHz Amadora, substituindo a Fi FM. Com a entrada em funcionamento do emissor renovado, a Rádio Observador passa a fazer-se ouvir melhor nos concelhos de Lisboa, Loures, Odivelas, Sintra, Vila Franca de Xira e Oeiras, além de se continuar na frequência do concelho do Seixal (98,7 MHz).

As duas frequências (93,7 e 98,7 MHz) passam, assim, a assegurar a cobertura da Rádio Observador em praticamente todo o território da Grande Lisboa e da margem Sul do Tejo.

De recordar que a estação emite igualmente no Norte do país, de Braga ao Sul do distrito de Aveiro, mercê do bom desempenho das frequências de 98,4 MHz Vila do Conde e 88,1 MHz São João da Madeira (este último emissor localizado no concelho de Oliveira de Azeméis).

quinta-feira, março 11, 2021

ERC não autoriza Rádio Canção Nova nos 97,5 MHz Portel

A ERC (entidade reguladora da comunicação social) deliberou não autorizar a mudança de projecto e de designação da Rádio Sim Alentejo (97,5 MHz Portel (distrito de Évora)), que queria estabelecer uma parceria com a Rádio Canção Nova (estação religiosa da comunidade católica homónima).

Com o fim da Rádio Sim, a organização proprietária do alvará da Rádio Sim Alentejo, uma instituição da Igreja católica, quis utilizar a frequência de Portel como retransmissor da Rádio Canção Nova (103,7 MHz Ourém), mantendo algumas horas de programação local. Contudo, a ERC entendeu, entre outras considerações, que a estação de Portel teria uma programação doutrinária, quase exclusivamente religiosa, que não se coaduna com os objectivos duma frequência generalista, mormente num concelho que só tem uma rádio local.

Acrescente-se a não apresentação, por parte do operador, da circunstância especial ou particularidade que justificasse a presença duma estação puramente religiosa no concelho de Portel (ao contrário do que sucede no concelho de Ourém, onde se insere a cidade de Fátima).

Considerando todas as objecções apontadas, a ERC decidiu conceder um prazo de 30 dias úteis para que a Rádio Sim Alentejo apresente um novo projecto para ser avaliado.

segunda-feira, março 08, 2021

O estranho caso do emissor de rádio ligado durante 8 anos por simples esquecimento

Saiu há poucos dias no site "The Drive" uma notícia a relatar uma situação ocorrida nos Estados Unidos e que tem tanto de insólito como de caricato.

O departamento dos transportes do estado de Washington DC activou, em Janeiro de 2013 e por ocasião da tomada de posse do então recém-eleito presidente Barack Obama, um pequeno emissor de Onda Média nos 1650 kHz, instalado temporariamente com o objectivo de difundir informações de trânsito.

Os anos passaram, o presidente Obama cedeu o lugar a Donald Trump, passados 4 anos o presidente Trump teve de ceder o lugar ao presidente Joe Biden e... o emissor continuou a transmitir a mesma gravação durante anos até que um ouvinte teve a curiosidade de indagar as autoridades a respeito da tal frequência. Um responsável pela segurança das comunicações investigou e descobriu a origem da emissão peculiar.  Passado pouco tempo, o emissor que supostamente devia operar a título provisório, foi desligado ao fim de 8 anos de actividade. Esperemos que se tenha tratado de um equipamento de potência reduzida, porquanto alguém teve de pagar a electricidade gasta inutilmente ao longo de 8 anos... Uma situação que os americanos não deverão achar "FCCómica".

terça-feira, março 02, 2021

Irlanda: FM -1, DAB-0

Se me é permitida a analogia desportiva, o último resultado do "campeonato" da rádio na Irlanda vai deixar tristeza nos adeptos do DAB. O Digital Audio Broadcasting levou uma "goleada" semelhante à que sofreu na Finlândia ou em Portugal.

A RTÉ, a rádio pública da Irlanda, vai encerrar as emissões DAB no próximo dia 31. As estações principais da RTÉ continuarão a ser escutadas no FM e, no caso da "Radio 1", também e por enquanto, na Onda Longa (252 kHz).

Já as rádios digitais que não emitiam por via analógica, continuarão a operar noutras plataformas (televisão digital, Internet etc.).

Ao contrário da Noruega e da Suíça, o FM não vai morrer tão depressa na ilha situada a Oeste da Grã-Bretanha. Por mais que se apregoem as supostas vantagens (umas verdadeiras outras discutíveis) do DAB, certo é que mais de 70% dos habitantes do "Éire" continuam a ouvir a música nacional dos U2 e dos Cranberries na boa, velha mas fiável modulação de frequência na faixa 2 da banda VHF.

sábado, fevereiro 27, 2021

Os portugueses de segunda que não podem ouvir as rádios nacionais

Por vezes, recebo relatos de ouvintes que se queixam das más condições de recepção das rádios nacionais em determinados pontos do país. Se há situações de problemas pontuais num emissor que prejudica a recepção numa determinada localidade, há casos de zonas de sombra permanentes onde as rádios nacionais jamais se fizeram ouvir de forma razoável. Os relatos não são nenhuma novidade nem para mim nem para ninguém - recordo que no ano passado, no dia 30 de Outubro de 2020, o Provedor do Ouvinte da rádio pública (RTP) aludiu a situações que se arrastam há anos. Se às rádios nacionais privadas não lhes compensa instalar um emissor para reforçar o sinal num conjunto de localidades fora dos centros urbanos, a RTP, por maioria de razão, operador do serviço público de rádio, já devia ter encontrado uma solução, leia-se instalar emissores, que permitisse às populações ouvir satisfatoriamente a Antena 1, a Antena 2 e a Antena 3.

Do que tenho conhecimento, um caso conhecido é o da região entre Santarém/Alcanede e o concelho de Porto de Mós. Uma região da Estremadura ladeada pela Serra de Aires e pela Serra dos Candeeiros, possuidora de uma orografia complicada, o que explica a dificuldade na sintonização das frequências das rádios nacionais, públicas e privadas, irradiadas a partir da Serra da Lousã, da Serra do Montejunto e da Maunça (Batalha). A debilidade de sinal afecta também outros concelhos da região, onde as três "Antenas" da RTP, a RR, a RFM e a Rádio Comercial se fazem ouvir com dificuldade, incluindo Abrantes, Sardoal, Pombal, entre outros.

Também no Alentejo profundo, nos concelhos de Serpa e Moura, incluindo localidades como Sobral da Adiça e Vila Verde de Ficalho, as condições de recepção das emissões provenientes da Serra do Mendro deixam imenso a desejar. Creio que também já li relatos de situações de dificuldades na escuta das rádios em certos pontos de Trás-os-Montes.

Compreende-se perfeitamente que, para uma rádio, pública ou privada, é difícil conseguir uma cobertura radioeléctrica próxima de 100% do território nacional. Contudo, se a Rádio Renascença e a MCR (Rádio Comercial) tivessem mais respeito pelos ouvintes e se a RTP trocasse certas mordomias da televisão por um investimento a sério na rede de emissores da rádio pública, haveria decerto menos zonas do país onde escutar rádio é uma aventura de orientar a antena no intuito de conseguir um pouco mais de sinal. Afinal, se no ano de 2021 os lisboetas, os bracarenses ou os farenses são cidadãos de primeira categoria porque podem ouvir as rádios com sinal cristalino, por que razão ainda há milhares de portugueses espalhados por quilómetros quadrados onde as rádios não chegam? Ironicamente, na era em que se fala de novas tecnologias - e já quem ache que Portugal já é um país que se está a atrasar no desenvolvimento porque ainda não tem emissões de rádio digitais no sistema DAB+ - aposto que, à falta de sinal FM, ainda haverá portugueses na região Centro a ouvir a Antena 1 na Onda Média através dos 630 kHz (emissor de Montemor-o-Velho) e no Baixo Alentejo através dos 720 kHz (emissor de Elvas)...

sexta-feira, fevereiro 26, 2021

Rádio Observador vai ganhar uma frequência de reforço na Grande Lisboa: 93,7 MHz Amadora

A ERC (entidade reguladora da comunicação social) deliberou recentemente a aprovação do processo de modificação do projecto definido para a rádio "Fi FM" (93,7 MHz Amadora), que passará a ser uma frequência temática informativa, bem como a alteração da designação para "Rádio Observador 93.7", sendo que em antena será apresentada como "Rádio Observador".

Na prática, a Rádio Observador vai passar a emitir também nos 93,7 MHz, reforçando o sinal na Grande Lisboa nas zonas onde o sinal dos 98,7 MHz Seixal apresenta falhas.

Com mais este investimento, a estação informativa do jornal online homónimo passará a contar com quatro frequências, a saber: 98,7 MHz Seixal (margem Sul do Tejo e região de Lisboa), 93,7 MHz Amadora (Grande Lisboa), 98,4 MHz Vila do Conde (Grande Porto e região Norte até Braga) e 88,1 MHz São João da Madeira (emissor em Oliveira de Azeméis, que serve o Sul do Grande Porto e o litoral até Ílhavo e Águeda).

quinta-feira, fevereiro 25, 2021

TSF sem "gás" em Braga

O emissor da TSF em Braga (106,9 MHz) está, há meses, a operar com potência reduzida. A situação só não é mais grave porque em zonas do distrito minhoto os auto-rádios comutam para outras frequências (Valongo, Muro, Marão etc.).

Não deixa de ser lamentável que uma rádio que tinha a reputação de operar com boas condições técnicas chegue ao ponto de já nem fazer ouvir de forma perfeita no terceiro distrito mais populoso do país. Infelizmente, as coisas não estão fáceis na estação - e muita gente da área técnica foi despedida da TSF, o que leva a que a qualidade de recepção, e, sobretudo, a qualidade do som da rádio se tenha deteriorado nos últimos tempos. É triste, muito triste, o estado a que chegou a rádio jornal idealizada pelo saudoso Emídio Rangel e por outros profissionais, e que marcou o panorama radiofónico português do final dos anos 80 e inícios dos anos 90...

terça-feira, fevereiro 23, 2021

Faleceu o maestro José Atalaya

Faleceu, aos 93 anos de idade, o maestro José Atalaya, um músico que marcou a história da rádio pública portuguesa. Colaborou com a então Emissora Nacional e mais tarde na Radiodifusão Portuguesa (RDP), onde chegou a ser director da Antena 2.

José Atalaya, mais do que simplesmente um maestro, foi um pedagogo e um divulgador da música clássica - e sem menosprezar os programas de televisão onde falava de música - foi, sobretudo, um homem da rádio e de boa música a passar na rádio. Que descanse em paz.

segunda-feira, fevereiro 22, 2021

105.4 Cascais com problemas técnicos no centro emissor

A 105.4 Cascais tem estado nos últimos dias a operar com potência reduzida e com interrupções, mercê de problemas técnicos no sistema de emissão. A rádio rock tem posto ao corrente os ouvintes, através das redes sociais, nomeadamente na página da estação no Facebook, a respeito da degradação significativa das condições de recepção dos 105,4 MHz.

Aparentemente, a resolução dos problemas técnicos terá de passar por uma revisão das antenas e dos demais componentes do sistema irradiante, pelo que a situação só poderá ser normalizada dentro de vários dias. Entretanto, para os ouvintes afectados, resta ouvir a emissão através da Internet. Esperemos que a 105.4 consiga reestabelecer tão prontamente quanto possível as condições de emissão - mesmo com o emissor a "todo o vapor", não ajuda o facto de a frequência ter apenas 400 W de potência aparente radiada máxima autorizada...

sábado, fevereiro 13, 2021

13 de Fevereiro de 2021: Dia Mundial da Rádio

Hoje é o Dia Mundial da Rádio, celebrado neste ano de 2021 em circunstâncias extraordinariamente difíceis para todos. Ainda assim, mesmo num contexto inédito em mais de 100 anos como uma pandemia, a rádio não pára.

Em tempos atípicos, em que grande parte do mundo se enclausura num universo circundado por paredes, a rádio permite "ver ouvindo" além do que conseguimos ver através da janela. Em vários países, onde as crianças e os jovens não podem ir à escola mercê da situação epidemiológica, a rádio tem estado, no último ano, a ser a radioescola que chega inclusivamente a quem não têm acesso a outros meios de comunicação, nomeadamente a Internet.

Com efeito, a rádio é um ser polivalente, capaz de se adaptar a novos desafios. Ao contrário da televisão ou de serviços online como o YouTube, na rádio não é necessária a preocupação com a estética visual. Não são necessárias equipas de maquilhagem, cabeleireiros ou técnicos a verificar as luzes. Tudo se concentra num único sentido: a audição.

Esta simplicidade é, muito provavelmente, a principal razão pela qual a rádio sobreviveu à televisão e transformou a ameaça da Internet num aliado; também a concentração de toda a informação sob a forma de som permite à rádio ser escutada mesmo quando os olhos dos ouvintes focam a estrada, o trabalho, os livros de estudo, a receita culinária ou o jogging matinal. Tal versatilidade não existe nos meios onde a imagem visual é fundamental, onde muitas vezes se preocupa demasiado com a aparência física em detrimento do conteúdo da mensagem a transmitir a quem estiver a escutar. Na rádio, o que efectivamente marca a diferença é o conteúdo da mensagem e as qualidades de eloquência de quem articula as palavras em frente ao microfone.

Se tivesse de descrever o maior feito que a rádio fez neste mundo, diria que foi o de revolucionar por completo o conceito de tempo. Ainda que no início do século XX já houvesse telefone, as notícias, os resultados desportivos e a cultura viajavam à velocidade da diligência, do automóvel ou do comboio. Com a chegada da rádio, o desporto, a informação, a cultura e o entretenimento passaram a chegar em tempo real. Muito antes da televisão ou das redes sociais, a rádio mudou por completo o paradigma cultural e social da sociedade.

Muito haveria a acrescentar relativamente à importância da rádio, todavia importa pensar o futuro do meio. Na era do consumo imediato e fútil das redes sociais e do streaming de música, a rádio tem de enfrentar o desafio de se reinventar. Mesmo numa altura de crise sanitária e económica, as rádios terão de saber utilizar da melhor forma possível os recursos de que dispõem. Em 2021 já é caricato haver programas com participantes que intervêm a partir de casa através de reuniões de áudio em plataformas como o Zoom ou Teams em que se nota claramente o som execrável e carregado de artifícios porque o utilizador não soube (nem lhe foram capazes de lhe ensinar a) configurar o software no modo de melhor qualidade de som possível. Em 2021 e com o devido respeito pelo trabalho dos profissionais, já se torna fastidioso escutar certos papagaios adestrados (felizmente há bons radialistas que não o são) que se limitam a palrar, perdão, a anunciar a hora, o estado do tempo e que a seguir vai-se ouvir um tema do artista "X", sem que tais duas ou três frases curtas soem idênticas a outras milhares e despertem o mínimo interesse no espírito do ouvinte. Em 2021, com tantas funcionalidades oferecidas pelos softwares de automação, não deixa de ser lamentável que certas rádios só conheçam 20 ou 30 músicas, repetidas até à exaustão hora após hora. Ao contrário do que possa parecer, não é preciso investir rios de dinheiro para transformar um produto insosso numa rádio minimamente interessante para a audiência habitual e para os novos ouvintes que começam a gostar do que ouvem; basta ter alguma criatividade e espírito de iniciativa para se fazer o que se pode com a prata da casa. Na era do podcasting, há quem use um microfone decente e um computador para produzir a partir de casa conteúdos interessantes. Se um podcaster amador consegue, um profissional de rádio, com a experiência e o conhecimento técnico acumulado durante anos saberá fazer melhor. A rádio não deve ser só música, política e futebol. Há muitos mais assuntos que podem e devem ser devidamente explorados num programa de rádio. Com os meios técnicos existentes e o saber-fazer, existirá, decerto, a capacidade de se criarem conteúdos para rádio que atraiam novos ouvintes. 

Para terminar, vale a pena aproveitar o Dia Mundial da Rádio para visitar de forma virtual e sem sair de casa os estúdios das rádios do grupo Renascença. Por via hertziana ou online, analógica ou digital, feita num estúdio, em casa, num navio ou, quando está bom tempo, até na rua, a rádio existe enquanto houver ouvintes que queiram saber o que ela lhes diz através do altifalante. Viva a rádio!

terça-feira, fevereiro 09, 2021

Rádio SBSR.FM evoca o passado da antiga XFM

A Rádio SBSR.FM vai ter uma emissão especial entre as 18 e as 20 horas do dia 2 de Março dedicada à história da antiga XFM, a rádio alternativa que emitiu de 1993 a 1997 em Lisboa e no Porto (no caso da cidade invicta, com um interregno de meses).

O programa que quer recordar as histórias e as músicas que marcaram a vida da XFM, estação por onde passou o mítico António Sérgio, poderá ser escutado no FM (90,4 MHz Lisboa e 91,0 MHz Porto (Matosinhos)) ou no site da estação. A imensa minoria não foi esquecida.

terça-feira, fevereiro 02, 2021

Rádio Club de Angra sem microcobertura na Praia da Vitória devido a queda da torre

 O Rádio Club de Angra, uma das mais antigas estações de rádio dos Açores (na ilha Terceira), viu a torre da microcobertura para o concelho da Praia da Vitória (94,7 MHz 50 W) não resistir ao mau tempo. Consequentemente, a rádio local do concelho de Angra do Heroísmo encontra-se a operar somente utilizando o emissor principal (101,1 MHz, com 400 W), e a microcobertura de Altares (concelho de Angra do Heroísmo) nos 89,6 MHz (50 W).

Esperemos que a estação reestabeleça rapidamente as condições de recepção na Praia da Vitória; lamentavelmente, longe vão os tempos em que a RCA emitia na Onda Média (909 kHz), cobrindo grande parte do arquipélago...

quarta-feira, janeiro 27, 2021

RDP África deverá começar em breve a emitir nos 91,5 MHz Porto com 1 kW P.A.R.

 Já saiu  o Despacho n.º 1072/2021 dos Gabinetes dos Secretários de Estado do Cinema, Audiovisual e Media e Adjunto e das Comunicações, que oficializa a atribuição da frequência de 91,5 MHz (Porto) à RDP África.

Com a potência aparente radiada máxima autorizada de 1 kW, o emissor da RTP-rádio deverá operar a partir do Monte da Virgem, irradiando o sinal da estação destinada às comunidades de origem africana para boa parte do Grande Porto; com efeito, a emissão dos 91,5 MHz deverá ser ouvida da Póvoa de Varzim até Santa Maria da Feira, pelo menos. Desconhece-se, para já, a data do início da entrada em funcionamento da nova frequência, mas tudo leva a crer que será muito em breve.

quarta-feira, janeiro 20, 2021

Rádio Observador já emite nos 88,1 MHz de São João da Madeira

 A Rádio Observador já se ouve no distrito de Aveiro e no Sul do distrito do Porto, na frequência de 88,1 MHz (ex- Rádio Regional Sanjanense), atribuída ao concelho de São João da Madeira.

Assim, a estação ganha a terceira frequência a nível nacional, que permite não apenas reforçar o sinal no Grande Porto como também fazer-se ouvir mais a Sul, até Ílhavo e Águeda. Recorde-se que a estação emite também nos 98,7 MHz Seixal, servindo parte da Grande Lisboa e margem Sul do Tejo e nos 98,4 MHz Vila do Conde (com emissor no Monte de Santa Eufémia), frequência que cobre o Grande Porto.

RDP África vai passar a emitir no Grande Porto, através dos 91,5 MHz!

O secretário de Estado do Cinema, Audiovisual e Media, Nuno Artur Silva, anunciou, em primeira mão, que a RDP África vai ter uma frequência no Grande Porto: 91,5 MHz

Trata-se de uma frequência atribuída há longos anos a um operador mas que jamais foi efectivamente explorada pelo vencedor do concurso. Nos últimos anos, a ANACOM autorizou a utilização temporária da frequência a algumas rádios, incluindo a Rádio Manobras.

Quase certo é que a RDP África vai emitir do Monte da Virgem, partilhando a torre com a Antena 1, a Antena 2 e a Antena 3. Desconhece-se para já a data do início da entrada em funcionamento do novo emissor. Com este "presente" do governo, o canal da rádio pública dedicada aos países africanos lusófonos e às comunidades africanas em Portugal, passa a ser escutada no FM do nosso país em Lisboa (101,5 MHz), Porto (91,5), Coimbra (103,4) e Faro (99,1 MHz). 

domingo, janeiro 17, 2021

Debate com os candidatos às eleições presidenciais amanhã na Antena 1, Rádio Renascença e TSF

É já amanhã, dia 18 de Janeiro, que a Antena 1, a Rádio Renascença e a TSF transmitem em simultâneo, a partir das 9h00, o debate com os vários candidatos às eleições presidenciais. De referir que, além da emissão nas rádios, o debate vai ser transmitido em vídeo através de streaming disponível nos sites e nas redes sociais das três estações.

sexta-feira, janeiro 15, 2021

Governo aumenta quota de música portuguesa nas rádios

O governo vai fixar a quota de música portuguesa nas rádios em 30%. A medida, anunciada pela ministra da Cultura, Graça Fonseca, afecta a esmagadora maioria das rádios locais, regionais e nacionais portuguesas, com a excepção de algumas estações temáticas que, por tocarem géneros musicais sem uma produção nacional satisfatória, estão isentas do cumprimento desta exigência.

De referir que a quota não sofre modificações desde que foi introduzida em 2009. Em todo o caso, a ERC reconheceu, em Julho de 2020, que a maioria das rádios já excede a quota obrigatória de 25% de música portuguesa.

quinta-feira, janeiro 14, 2021

Antena Livre (Abrantes) vai proceder às suspensão da emissão FM para trabalhos de manutenção no emissor e mudança de frequência para os 96,7 MHz

A Antena Livre (89,7 MHz Abrantes) vai realizar, na próxima terça-feira, dia 19, trabalhos de manutenção do emissor e à alteração da frequência, dos 89,7 para os 96,7 MHz. Esta mudança visa melhorar as condições de recepção na região, permitindo à estação abrantina chegar melhor e mais longe, numa frequência mais limpa. Neste contexto, a emissão FM será suspensa por algum tempo (enquanto decorre a intervenção técnica), contudo a emissão online não será afectada.

De referir que a frequência de 96,7 MHz foi utilizada pela extinta Rádio Tágide, outra rádio local que existiu em Abrantes, que teve de encerrar a actividade em 2014 devido a insolvência.

quinta-feira, janeiro 07, 2021

Rádio Observador reforça cobertura no Norte (88,1 MHz S. João da Madeira)

A Rádio Observador vai reforçar a cobertura radioeléctrica no Grande Porto e Beira Litoral (incluindo Aveiro), através da frequência da actual Rádio Regional Sanjoanense (88,1 MHz São João da Madeira), que vai passar a designar-se "Observador 88.1". A modificação do projecto aprovado para a rádio local atribuída ao concelho de S. João da Madeira já foi aprovada pela ERC.

Importa referir que a deliberação da entidade reguladora revela outra notícia interessante: a ERC está a avaliar a alteração do projecto aprovado para a actual "93.7 FM" do concelho da Amadora, frequência que poderá, a ser aprovada tal alteração, servir de reforço de sinal da Rádio Observador para a região de Lisboa e Estremadura.

Certo é que a Rádio Observador emite actualmente nos 98,7 MHz Seixal (servindo a região de Lisboa e a margem Sul do Tejo) e nos 98,4 MHz Vila do Conde (cobrindo o Grande Porto); em breve também nos 88,1 MHz São João da Madeira, com emissor no concelho de Oliveira de Azeméis e que melhorará a cobertura no Porto e a Sul da Cidade Invicta até às região de Aveiro/ Ílhavo/Águeda, pelo menos.

Antena 1, uma rádio mais inclusiva em 2021!

Se, como escreveu Antoine de Saint-Exupéry, "o essencial é invisível aos olhos", uma frase que, retirada do contexto, se pode aplicar à rádio, não é menos verdade que há quem não possa ouvir rádio porque não possa simplesmente ouvir.

Estima-se que existam em Portugal 100000 a 150000 pessoas surdas ou com deficiência auditiva. Pessoas que jamais serão ouvintes de rádio. Contudo, a Antena 1 passa a prestar um verdadeiro serviço público dirigido todos os homens, todas as mulheres e a todos os jovens que não conseguem ouvir e compreender as palavras faladas pelo altifalante do receptor de rádio.


Uma excelente iniciativa que deveria ser adoptada por outras estações de rádio!


terça-feira, janeiro 05, 2021

Concerto inaugural da presidência portuguesa da União Europeia com transmissão na Antena 1

Porque importa destacar alguns eventos culturais que passam na rádio, o concerto inaugural da presidência portuguesa será transmitido também, a par da RTP-televisão, na Antena 1. O espectáculo, que inclui artistas como Carminho, Ana Moura, Sara Correia, Camané e a guitarrista Marta Pereira da Costa, será acompanhado pela Orquestra Sinfónica Portuguesa, dirigida pela maestrina Joana Carneiro. A não perder esta terça-feira, a partir das 18h30, no primeiro canal da rádio pública portuguesa.

sexta-feira, janeiro 01, 2021

Faleceu Carlos do Carmo - e a rádio portuguesa não ficou indiferente

Morreu o Senhor (com "S" maiúsculo) do Fado. A história de vida do grande fadista Carlos do Carmo confunde-se com a história do Fado das últimas décadas - e às qual as rádios portuguesas contribuíram significativamente através da divulgação da música genuinamente portuguesa, cantada em português e reflectindo a cultura do nosso país.

Depois de ter um ano de 2020 para esquecer, Portugal começou o ano com mais uma má notícia; contudo, importa popreferir que a maioria das rádios, incluindo as mais ligadas à informação, nomeadamente a Antena 1, a Rádio Renascença, a Rádio Observador e a TSF, não ficou indiferente ao falecimento do cantor e muitas tocaram uma ou mais músicas do artista; em especial, a Rádio Amália chegou a tocar várias das músicas 0menos conhecidas do fadista. Independentemente do gosto musical de cada um, é inegável que o artista Carlos do Carmo deixa uma marca indelével no Fado e na música portuguesa em geral; razão mais que suficiente para que as rádios tenham - e bem - prestado a homenagem merecida ao cantor. Que o enorme Carlos do Carmo descanse em paz.