terça-feira, novembro 19, 2019

Faleceu o cantautor José Mário Branco - e a rádio não ficou indiferente

O país acordou hoje de manhã a saber que tinha falecido o cantautor português José Mário Branco. Se o músico de intervenção inspirou muitos dos artistas da actualidade, as rádios não ficaram indiferentes ao desaparecimento de um dos maiores autores e intérpretes da música portuguesa. Mal a notícia chegou à redacção da rádio pública, a Antena 1 e a Antena 3 evocaram a memória do artista. Também a Rádio Radar (97,8 MHz Almada), realizou uma emissão especial;  do pouco que pude ouvir, a TSF homenageou igualmente o José Mário Branco.

Sem dúvida que a música portuguesa ficou hoje mais pobre. Que o grande José Mário Branco descanse em paz.

domingo, novembro 17, 2019

Rádio Observador deslocaliza o emissor do Seixal (98,7 MHz)?

Apesar de não ter sido, para já, confirmado oficialmente, a Rádio Observador terá deslocalizado o emissor do Seixal. A nova estação emissora dos 98,7 MHz situa-se na zona da Aroeira / Verdizela e já terá entrado em funcionamento, porquanto a cobertura radioeléctrica da rádio de informação sofreu alterações nos últimos dias.

De acordo com os relatos publicados no "Fórum da Rádio", a recepção da emissora associada ao jornal online homónimo melhorou em Cascais, todavia o sinal piorou em várias zonas de Lisboa, incluindo o Alvito e a freguesia de Benfica. Ao que parece, a qualidade do sinal também terá piorado em Odivelas (utilizando um telemóvel com rádio FM).

domingo, novembro 10, 2019

Cadena SER (Espanha) sofre ciberataque de ransomware!

Ao longo das longas décadas  de existência, as estações de rádio foram evoluindo os meios tecnológicos utilizados para tocar música, gravar programas e outras tarefas corriqueiras que os profissionais fazem diariamente, muitas vezes  de forma "invisível" para o ouvinte. Se outrora as rádios dependiam dos discos de vinil, das bobines, das cassetes e de outros formatos analógicos, hoje em dia praticamente toda a operação das rádios é feita através dos computadores. A massificação das  redes informáticas, nomeadamente a Internet,  leva a que, cada vez mais, as emissoras centralizem todo o material radiofónico em servidores, abandonando os formatos físicos como as pen drives USB ou os discos externos.

Mas... e quando a rede é atacada ao ponto de encriptar todos os ficheiros armazenados nos computadores? É o que aconteceu recentemente com a Cadena SER espanhola: de um momento para o outro a estação viu-se a braços com um ataque de "ransomware" a uma escala que privou os profissionais de utilizarem muitos dos recursos informáticos.  A situação afecta não somente os estúdios centrais em Madrid mas, e sobretudo, muitas das emissoras locais da SER. Os jornalistas e locutores viram-se obrigados  a improvisar: escrever à mão guiões dos programas, utilizar gravadores digitais para digitalizar cassetes analógicas, capturar o áudio emitido pelas televisões... Enfim, tem sido como recuar até aos tempos da rádio dos anos 80 ou 90. Apesar de tudo, o "coração" da rádio tem sobrevivido a este grande desafio; desde que haja microfones e emissores operacionais, a rádio funciona.

Infelizmente, ao que se sabe, situações semelhantes já ocorreram em Portugal. Houve pelo menos duas rádios portuguesas atingidas por ciberataques - uma até terá perdido todo o conteúdo alojado nos  equipamentos informáticos. Aos responsáveis e profissionais de estações de radiodifusão que se encontram a ler este artigo, permitam-me que dê um conselho: façam SEMPRE, mas sempre, cópias de segurança (backup) de todos os ficheiros (músicas, gravações de programas etc.) em dispositivos desligados da rede (discos externos, pens USB, DVDs etc.) e desligados dos computadores quando não são necessários. Façam igualmente cópias de segurança numa "cloud" independente dos servidores da rádio (Google Drive, OneDrive, Meo Cloud etc.). Não facilitem: a principal regra da segurança informática é a prevenção. O barato pode sair muito caro: hoje em dia um disco externo ou uma conta paga na cloud não são muito caros,  se tivermos em consideração que o prejuízo decorrente da perda total dos arquivos digitais da rádio é demasiado para  ser ignorado - sobretudo se no desespero houver quem gaste centenas ou milhares de euros para pagar o "resgate" aos "sequestradores digitais". Em suma: assegurem sempre vários níveis de  redundância em nome  da segurança dos vossos dados. Esperemos que a Cadena SER e todas as outras rádios no mundo afectadas por este tipo de prática informática maliciosa, recuperem o máximo de informação possível.

sexta-feira, novembro 01, 2019

António Sérgio (1950-2009): 10 anos de saudade

Faz hoje 10 anos que a rádio em Portugal recebeu uma notícia deveras triste: o locutor António Sérgio, o maior divulgador da música alternativa em Portugal, havia falecido de madrugada. Passada uma década, o país não esquece o homem que lançou os "Xutos & Pontapés". Durante o dia 31 de Outubro, a Antena 3 teve direito à reposição de alguns programas dedicados ao António Sérgio, incluindo o documentário "Uivo".


Também a TSF evocou o aniversário da morte do radialista. Já a Rádio Comercial, nem uma palavra - e foi melhor assim, já bastou a forma pouco honrosa como o António foi convidado a sair da rádio em 2007 porque a boa música alternativa já não era digna de ocupar tempo das madrugadas da estação. Todavia, sem perder a compostura,  "As Horas" do António Sérgio passaram para a "Viriato 25" da Radar, até ao seu falecimento, em 2009.

Para quem quiser recordar algum material dos programas do António Sérgio (e algumas gravações de alguns programas), pode consultar o blogue "Lista Rebelde".

Vale a pena recordar a "Hora do Lobo", programa transmitido na Rádio Comercial e posteriormente na Best Rock FM:


A Wikipédia tem um bom artigo com o percurso deste grande Senhor (com "S" maiúsculo) da rádio. Muito mais haveria a dizer, mas não quero alongar demasiado esta publicação. Onde quer que o António esteja (espero que no Céu), jamais o esqueceremos.

segunda-feira, outubro 28, 2019

MCR deslocaliza emissor da Cidade FM (106,2 MHz Montijo)

A Media Capital Rádios (MCR) deslocalizou o emissor da Cidade FM no Montijo (106,2 MHz), situado na Rua da Barrosa, para a torre da Quinta de S. José (Arroteias, no concelho da Moita).

Deste modo, os elementos radiantes dos 106,2 MHz partilham agora a torre em Arroteias com a Vodafone FM (101,1 MHz), a Smooth FM (103,0 MHz) e a Rádio Estádio (96,2 MHz), num claro esforço por parte da MCR em concentrar todos os emissores do grupo atribuídos a concelhos da margem Sul do Tejo na mesma torre.

quarta-feira, outubro 16, 2019

"Rádio Manobras" regressa ao éter portuense, nos 91,5 MHz

A "Rádio Manobras", estação online feita de e para a cidade do Porto, voltou a ter uma licença temporária da ANACOM para operar no FM, a partir da frequência de 91,5 MHz.

Segundo Jorge Guimarães Silva, a emissora portuense tem o emissor no Centro Comercial Stop e opera com 50 W. É lamentável que a Lei da Rádio em Portugal não preveja a existência de rádios comunitárias sem fins comerciais que pudessem operar em FM e, quem sabe, até na Onda Média, recorrendo a emissores de potência reduzida. A rádio neste país precisava de um verdadeiro "Simplex" que permitisse à ANACOM e à ERC aprovar projectos não comerciais de não precisassem de cumprir escrupulosamente todas as exigências burrocr... perdão, burocráticas, que vão aniquilando as rádios locais.

domingo, outubro 06, 2019

Rádio Observador: 98,7 MHz região de Lisboa, 98,4 MHz Grande Porto

Confirma-se: a Rádio Observador já se ouve por via hertziana na região do Grande Porto, através da frequência 98,4 MHz.

Entretanto, a Rádio XL FM, estação que ocupava os 98,4 MHz, passou a estar disponível apenas online, esperando-se que, muito em breve, passe a servir a região do Porto numa outra frequência (88,4 MHz, actualmente ocupada pela Rádio 5).

sexta-feira, outubro 04, 2019

Rádio Observador prestes a chegar ao Grande Porto

A Rádio Observador prepara-se para chegar à região do Porto. A estação do jornal online homónimo ocupará a frequência 98,4 MHz de Vila do Conde (com emissor no Monte de Santa Eufémia), ocupada até agora pela Rádio XL FM.

O arranque das emissões da Rádio Observador no Norte deverá ocorrer entre o dia de amanhã, dia 5 de Outubro e o domingo, dia 6 de Outubro a tempo da estação cobrir o decorrer das eleições legislativas em Portugal.

quarta-feira, outubro 02, 2019

Açores: torre de emissão principal da "Antena 9" destruída pelo furacão Lorenzo

O furacão "Lorenzo" passou pelos Açores e, entre os inúmeros estragos em infra-estruturas, há pelo menos uma rádio seriamente afectada pelo mau tempo que se fez sentir nos grupos central e ocidental do arquipélago.

A "Antena 9", rádio local do concelho da Horta (que abrange a totalidade da ilha do Faial), viu a torre do emissor principal no Cabeço Gordo (91,3 MHz) ser destruída. Em consequência desta situação grave, as microcoberturas da estação (94,4; 95,9 e 102,2 MHz) encontram-se a emitir somente a portadora, porquanto eram alimentadas pelo sinal FM do emissor principal. Desconhece-se, para já, quando é que a rádio terá condições para regressar ao FM, mesmo com uma instalação provisória. Todavia, espero que o consiga fazer tão depressa quanto possível.

sábado, setembro 21, 2019

Oficial: Cofina compra Media Capital

Já é oficial: a Cofina, empresa dona do jornal "Correio da Manhã" e da CMTV, lançou uma oferta pública de aquisição (OPA) sobre as acções da Media Capital. Na prática, a dona do CM negociou com a PRISA a compra da dona da TVI, da Rádio Comercial, da M80 Rádio, da Cidade FM, da Smooth FM, da Vodafone FM, além de outros activos.

Para já, e não obstante a proliferação de rumores, não existe informação fidedigna a respeito do projecto que a Cofina tem para os canais da TVI ou para as rádios da MCR. Quem sabe se não vamos assistir ao renascimento do "Correio da Manhã Rádio"? Resta-nos esperar pelos desenvolvimentos desta história.

terça-feira, setembro 17, 2019

Rádios transmitem debates eleitorais

Se os debates eleitorais são feitos maioritariamente pelas televisões, as rádios portuguesas não ficam de fora dos confrontos políticos a dias das eleições legislativas.

É já amanhã, dia 18 de Setembro, às 10 horas, que a Antena 1, a Rádio Renascença e a TSF transmitem em simultâneo o debate radiofónico com os 6 representantes dos partidos com assento parlamentar.

O segundo debate  destinado às rádios (também a Antena 1, RR e a TSF) terá como protagonistas o actual primeiro-ministro António Costa e o principal líder da oposição, o Dr. Rui Rio, e realizar-se-á na próxima segunda-feira dia 23 de Setembro, numa hora a confirmar.

Como cidadão e em nome da equidade territorial, lamento que uma rádio regional como a TSF (rede regional Norte) transmita os debates mas a outra rede regional do continente (M80, rede regional Sul), não obstante tratar-se de uma estação musical não interrompa o formato habitual para transmitir dois debates; também o Posto Emissor do Funchal é legalmente uma rádio regional e parece que - por maioria de razão numa região que vai também eleições regionais no próximo domingo - se mantém à margem dos confrontos políticos.

sexta-feira, setembro 13, 2019

"RTP Andamento" na Antena 1 e Antena 3

No próximo domingo, dia 15 de Setembro, a RTP vai realizar o festival "RTP Andamento", que vai ter lugar na Alameda D. Afonso Henriques, em Lisboa. Ao longo de 12 horas, o público poderá assistir aos concertos de vários artistas da música portuguesa, a saber: Pedro Abrunhosa, do António Zambujo, do Salvador Sobral, Selma Uamusse, Dillaz, BMRNG e Xana Toc Toc.

Prometida está a transmissão integral de todos os concertos na RTP Play. Também a RTP 1 vai acompanhar o festival ao longo do dia. E porque a RTP não é só imagem, a Antena 1 e a Antena 3 também vão estar a cobrir o "RTP Andamento".

Sem dúvida um evento interessante para, no mínimo, "picar o ponto" com o receptor de rádio na Antena 1 ou na Antena 3 no domingo. Serviço público é também promover a música portuguesa não só nos estúdios de televisão ou de rádio mas também da rua para os rádios dos ouvintes.

domingo, setembro 08, 2019

Antena 3 com nova frequência nos Açores (99,2 MHz Cabeço Gordo - Faial)

A Antena 3 conta agora com um reforço de cobertura radioeléctrica no Grupo Central açoriano, mercê da entrada em funcionamento de um novo emissor no Cabeço Gordo (iha do Faial). A nova frequência (99,2 MHz) serve as ilhas do Faial, do Pico, de São Jorge e a Graciosa, melhorando a recepção numa zona que era até agora apenas servida pelo emissor de Santa Bárbara (na ilha Terceira) e por um pequeno emissor para a cidade da Horta (no Faial).

Com uma rede de 12 emissores, a Antena 3 já serve em boas condições por via hertziana grande parte do arquipélago dos Açores (ainda que as condições de recepção não sejam as melhores nas ilhas de Santa Maria e Graciosa).

sexta-feira, agosto 30, 2019

ERC "chumba" SBSR nos 88,6 MHz da Rádio Jornal de Setúbal!

Se um "chumbo" incomoda, dois "chumbos" de seguida devem incomodar muito mais o engenheiro Luís Montez. A Rádio Jornal de Setúbal (88,6 MHz) "quis" associar-se ao projecto SBSR FM, pelo que solicitou autorização à ERC para a alteração do projecto generalista para temático musical.

Todavia, a Entidade Reguladora para a Comunicação Social entendeu que a intenção subjacente ao pedido era a transformação da RJS num mero retransmissor da SBSR; além disso,a ERC, mantendo a linha de coerência que levou à reprovação da mudança do projecto da Rádio Azul, continua a manifestar a preocupação derivada do facto de haver um elemento da gerência da rádio que também ´
é membro da gerência das outras duas frequências atribuídas ao concelho (Rádio Azul e Rádio Amália).

A ligação das três rádios ao grupo "Música no Coração" terá tido peso significativo na decisão da ERC. Em termos práticos, a ERC disse que, no limite, o  engº Luís Montez pode controlar indirectamente o funcionamento da RJS e da Rádio Azul,  além da Rádio Amália. Ou seja, as três rádios de Setúbal. Considerando todas estas preocupações e outras, a ERC deliberou indeferir  o requerimento para a autorização da mudança do projecto da RJS.

quinta-feira, agosto 29, 2019

Rádio Águia Azul mudou de designação para "Sintonia Feirense"

A Rádio Águia Azul (92,0 MHz Santa Maria da Feira) mudou de nome: a estação passou a utilizar a designação "Sintonia Feirense" e até já emite o serviço RDS com a identificação "SINTONIA", após ter recebido aval da ERC.

quinta-feira, agosto 08, 2019

Compra da Rádio Azul (98,9 MHz Setúbal) pela "Música no Coração" revogada pela ERC!

Más notícias para o engenheiro Luís Montez: a ERC revogou a deliberação que autorizava a venda da aquisição do alvará da Rádio Azul (98,9 MHz Setúbal) à empresa "Música no Coração".
Em causa está a ligação de um dos elementos da gerência da rádio às outras duas estações locais do concelho banhado pelo rio Sado, mas também o facto de, a concretizar-se o negócio, a "Música no Coração" passar a controlar 66% das licenças de rádio atribuídas ao concelho de Setúbal, quando a lei proíbe a concentração de mais de 50% na mesma empresa (ou na mesma pessoa física).
Considerando estas irregularidades, a entidade reguladora do sector da comunicação social não poderia aceitar a alteração do domínio do operador em causa, pelo que deliberou a revogação da decisão anterior.

segunda-feira, julho 22, 2019

Antena 1: o serviço público de rádio presente quando mais se precisa da rádio

Noite de sábado, dia 20 de Julho de 2019. Os incêndios florestais atingem os concelhos de Mação, Vila de Rei e Sertã. As populações precisam de informações úteis. E o que faz a rádio? TSF? Passa Música. Rádio Renascença? Idem. Rádio Observador? Certo é que não chega à região por via hertziana, todavia passa um programa que nada tem a ver com a emergência da situação na região centro do país. A única (repito: a única) rádio nacional que, não obstante as suas limitações técnicas, desloca uma equipa para a região e interrompe a emissão regular para acompanhar em tempo real o desenrolar das situações no terreno é a Antena 1.

Enquanto as demais rádios nacionais e uma regional (TSF) se limitavam a alguns apontamentos nos noticiários, a Antena 1 esteve o tempo todo (quase até as 2 horas de domingo) a cobrir a tragédia, chegando a abrir uma linha telefónica para obter informações dos ouvintes localizados na região.

Já critiquei, em diversas ocasiões, alguns aspectos relacionados com o funcionamento da rádio pública. Contudo, há também que elogiar a RTP-rádio quando, pese todos os constrangimentos que limitam a sua capacidade de operação, faz todos os possíveis para informar, com o maior rigor que a comunicação social consegue obter neste tipo de situações, os ouvintes, procurando contribuir para a segurança das populações locais que, se ficarem provadas de electricidade e redes móveis, confiam na rádio para acompanhar a evolução dos incêndios. São iniciativas como esta que devem constituir uma marca diferenciadora do serviço público de rádio: ajudar quem  mais precisa, nos momentos de aflição em que as notícias são mais importantes do que nunca. Obrigado, Antena 1, por ser a única rádio portuguesa com cobertura nacional a estar atenta a uma calamidade, quando as demais estações não colocam no terreno um jornalista que seja a acompanhar em tempo real o desenvolvimento de uma emergência nacional!

sábado, julho 13, 2019

Hóquei em patins na Antena 1 e na Rádio Estádio!

Porque o desporto não se resume ao futebol, vale a pena referir que a Antena 1 e a Rádio Estádio transmitiram ontem (dia 12 de Julho) o relato do jogo da meia-final do campeonato mundial de hóquei em patins (que decorre em Espanha), entre Portugal e Espanha.

Num país onde a palavra "desporto" é vista, no contexto da rádio, como sinónimo de futebol, é bom ver que, durante uns dias, uma modalidade com grande tradição em Portugal ganha destaque ao ponto de merecer o espaço na rádio geralmente ocupado pelo futebol. Bem que as rádios deviam arriscar mais vezes a saírem da zona de conforto do desporto-rei e a apostarem no relato de outras modalidades em que existe uma selecção nacional a representar o país em campeonatos internacionais...

Rádio Universitária do Minho celebra 30 anos, com direito a instalações novas!

Uma breve nota para referir que a RUM - Rádio Universitária do Minho (97,5 MHz Braga) celebrou, no passado dia 10 de Julho, o 30º aniversário da primeira emissão oficial.

E que melhor "prenda" "oferecida" à rádio minhota senão a mudança para melhores instalações e a abertura de um café concerto? A todos os profissionais e estudantes de comunicação social que trabalham na RUM, desejo a melhor das sortes. Que possamos voltar a falar na RUM daqui a 30 anos!

quarta-feira, junho 26, 2019

Rádio Cova da Beira: alterações nas frequências de emissão

A Rádio Cova da Beira (Fundão) procedeu à alteração das frequências dos dois emissores (emissor principal e microcobertura). Assim, o emissor principal da rádio beirã (ex-92,5 MHz) opera agora nos 100,0 MHz (antiga frequência da extinta Rádio Jornal do Fundão). 

Entretanto, a microcobertura, que operava nos 107,0 MHz, passou para os 92,5 MHz, ocupando a antiga frequência do emissor principal.

Rádio Observador arranca amanhã!

É oficial: a Rádio Observador vai arrancar as emissões regulares amanhã, dia 27 de Junho de 2019. O projecto radiofónico do jornal online "Observador" vai estar, numa primeira fase, disponível por via herziana na Grande Lisboa (98,7 MHz Seixal), estando prometida a chegada em breve à região do Porto e a outras zonas do país. A nova rádio estará igualmente disponível online, a partir do "site" do Observador.

A "Rádio Observador" promete ter uma rádio de informação que conta com nomes como a Maria João Simões (ex-RFM e ex-Rádio Comercial, além de ter trabalhado igualmente na RTP e na SIC), a Carla Jorge de Carvalho (ex-SIC Notícias), o Paulo Ferreira (ex- RTP e ex- Jornal de Negócios) e a Judite França (ex-TVI e ex- Agência Financeira).

O projecto promete! Estaremos cá para ouvir e avaliar - espero eu que com nota positiva. Falta uma rádio de informação a sério em Portugal (a TSF já teve melhores dias...). Resta-me desejar, a todos os profissionais da nova estação, a melhor das sortes para esta novo desafio! Para ouvir, a partir das 7h00 desta quinta-feira, nos 98,7 MHz ou em www.observador.pt .

segunda-feira, junho 24, 2019

Rádio Renascença testa mudança de frequência na Fóia (Serra de Monchique)?

A Rádio Renascença está há mais de uma semana a transmitir através da estação emissora na Fóia (Serra de Monchique) na frequência de 98,7 MHz em vez da frequência licenciada, nos 98,6 MHz.

Tendo em conta o período temporal alargado em que a situação se mantém (diria que é pouco provável que uma falha técnica tão grave fosse mantida durante tantos dias sem que a ANACOM interviesse), é possível que - não obstante a inexistência, para já,  de qualquer informação oficial a este respeito - a emissora católica portuguesa tenha sido autorizada pela entidade reguladora do espectro radioeléctrico a realizar, de forma experimental, a mudança de frequência .Uma possível justificação será o funcionamento do emissor da Serra de Ossa (no distrito de Évora), que irradia a Rádio Renascença nos 98,5 MHz, o que levava à interferência do sinal proveniente da serra algarvia (nos 98,6 MHz) sobre a emissão alentejana. Aguardemos por desenvolvimentos...

sexta-feira, junho 14, 2019

Rádio CAPSAO: 106,4 MHz Sobral de Monte Agraço

A Hit Rádio portuguesa (106,4 MHz Sobral de Monte Agraço) vai mudar de designação e de projecto radiofónico. Segundo uma deliberação recente da entidade reguladora (ERC), a estação inspirada na congénere marroquina vai mudar de designação para Rádio CAPSAO, nome de uma estação francesa fundada por portugueses.

O novo projecto radiofónico promete uma oferta musical diversificada, incluindo pop portuguesa e estrangeira e outros estilos, incluindo quizomba, samba, kuduro, afrohouse, electro-latino, merengue, bachata, salsa, funaná, mpb e forró, entre outros.

ERC revoga o alvará da Esposende Rádio

A ERC deliberou a revogação do alvará da Esposende Rádio (93,2 MHz Esposende, no distrito de Braga). Em causa está a penhora da licença da estação, bem como a dissolução e o encerramento da liquidação da empresa detentora do alvará, a "Jornal de Esposende – Sociedade Editora, Lda" .

E assim desaparece, infelizmente, a possibilidade de se recuperar uma rádio local do Norte do país...

terça-feira, junho 11, 2019

Rádio Observador: 98,7 MHz Seixal (!)

Ainda não é oficial, mas já está no ar: a "Rádio Observador" já efectua emissões experimentais por via hertziana, na nos 98,7 MHz Seixal (ex- Rádio Baía).

A frequência local atribuída ao concelho do Seixal já passa jingles com o que aparenta ser o slogan da nova rádio: “Rádio Observador: aconteça o que acontecer”. Não havendo, para já, mais informações a respeito da data em que arranca este novo projecto radiofónico, pertencente ao jornal digital homónimo, resta-nos aguardar por desenvolvimentos.

sábado, maio 25, 2019

"Rádio Estádio" arrancou hoje nos 96,2 Barreiro e 89,0 MHz Póvoa de Varzim

A "Rádio Estádio", o novo  projecto radiofónico desportivo encabeçado pelo empresário Bruno Costa Carvalho, iniciou hoje as suas emissões regulares por via herziana, através das frequências 96,2 MHz Barreiro (servindo a região de Lisboa) e 89,0 MHz Póvoa de Varzim (que serve a região do Porto). A nova estação ainda não tem a emissão online em funcionamento, todavia já tem um "site" que, para já, se limita a disponibilizar hiperligações para as páginas da rádio nas redes sociais, acessível a partir do endereço: https://radioestadio.pt/.

terça-feira, maio 21, 2019

Antena 2 tem nova frequência em Paredes de Coura (88,0 MHz)

A RTP colocou finalmente em funcionamento a Antena 2 no centro emissor de Paredes de Coura. Assim, a estação erudita do serviço público opera agora nos 88,0 MHz, servindo a vila minhota com recurso a uma microcobertura de 100 W.

De referir que a frequência em causa já estava atribuída há alguns anos, todavia a rádio pública só agora se dignou colocá-la em funcionamento. A RTP terá igualmente procedido a melhorias técnicas no centro emissor que beneficiam igualmente a Antena 1 (102,9) e a Antena 3 (92,3 MHz), incluindo a instalação de equipamento de recepção satélite.

terça-feira, maio 07, 2019

Rádio Comercial lança Webrádios temáticas

A Rádio Comercial lançou cinco rádios temáticas exclusivamente online, a saber: Rádio Comercial Rock, Rádio Comercial Dance, Rádio Comercial Soft, Rádio Comercial Made in Portugal e Rádio Comercial One Hit Wonders. Estas emissões online, bem como a da Rádio Comercial original, estão disponíveis no "site" da estação.

sexta-feira, maio 03, 2019

Rádios locais transmontanas boicotam acções de campanha eleitoral para as eleições europeias!

A Cadeia de Informação Regional (CIR), que engloba 6 rádios locais dos distritos de Vila Real e Bragança (Rádio Ansiães [98,1 MHz Carrazeda de Ansiães], Rádio Brigantia [97,7 e 97,3 MHz Bragança], Rádio Onda Livre [87,7 e 106,0  Macedo de Cavaleiros], Rádio Terra Quente [105,2 e 105,5 MHz Mirandela], Rádio Montalegre [97,5 MHz Montalegre] e Universidade FM [104,3 MHz Vila Real], anunciou hoje um boicote às acções de campanha eleitoral para as eleições europeias.

Em causa estão as dificuldades sentidas pelas estações locais, que se vêem com uma série de entraves que, no limite, colocam em causa a viabilidade económica das rádios. Uma das principais reivindicações das rádios é o fim da discriminação  na atribuição de tempos de antena durante as campanhas eleitorais, já que as estações locais, contrariamente aos operadores com cobertura nacional, só recebem dinheiro do Estado na sequência da transmissão dos tempos de antena para as eleições autárquicas, legislativas e para os referendos, ignorando os restantes escrutínios eleitorais em Portugal. Também a redução da burocracia excessiva a que as rádios estão sujeitas consta da lista de exigências.

É lamentável que as rádios tenham de chegar ao ponto de boicotar o trabalho político, todavia considero totalmente legítimas as queixas das rádios locais. Recorde-se que as estações locais (sobre)vivem à custa da compra de espaços publicitários, recebendo (quando recebem) muito pouco do Estado. A terem de contar diariamente os Euros para pagar as inúmeras despesas, são muitas vezes desprezadas pelo poder político e por quem deveria defender os interesses das populações locais.

Esperemos que, no dia em que as rádios se recusem a emprestar o microfone a quem não se preocupa com as dificuldades do sector, os políticos e os responsáveis pela indústria da música e pela gestão dos direitos de autor, direitos conexos e afins, percebam o quão difícil é gerir uma rádio local que não tem os meios económicos nem os meios técnicos das grandes estações de âmbito nacional...

sexta-feira, abril 26, 2019

Antena 3 celebra 25 anos de vida

A Antena 3 comemora hoje o 25° aniversário, com direito a uma emissão especial que decorreu em directo da estação do Cais do Sodré, em Lisboa.

O meu desejo para o futuro da 3? Que a rádio pública saiba aproveitar os seus recursos para lançar programas de autor e iniciativas da Antena 3 que aproxime a rádio dos ouvintes. Em particular, seria bom que a Antena 3 "entrasse" nas universidades, nas escolas (para os ouvintes mais jovens), nas instituições culturais e artísticas, nas instituições científicas, e até nas empresas criativas, nos clubes desportivos etc. Resumindo, mais do que se ter pouco mais do que apenas a "Prova Oral", ter-se programas que mostrassem o melhor que os jovens do nosso Portugal fazem. Valia a pena mostrar aos ouvintes que uma rádio não deve ser só música. Por maioria de razão, uma rádio jovem de serviço público deve ir de encontro a outros interesses dos ouvintes. E por que não na 3 um programa de divulgação científica (matemática, astronomia etc.) feita para leigos, numa linguagem acessível? Podia dar outros exemplos, todavia insisto que uma estação como a Antena 3, que mantém valores de audiência que deveriam exigir uma reflexão dentro da RTP, merecia outra dinâmica na programação.

Em todo o caso, quero agradecer a todos os profissionais que trabalham (ou trabalharam) na 3, o trabalho desenvolvido em prol do serviço público. Não obstante as minhas considerações anteriores, creio que a Antena 3 continua a destacar-se pelas escolhas musicais alternativas (claro que nem sempre as melhores) e por alguns programas que vale a pena escutar.

quarta-feira, abril 24, 2019

Rádio Renascença com programa especial sobre o 25 de Abril

A Rádio Renascença vai ter uma emissão especial comemorativa do 45° aniversário do 25 de Abril, que irá para o ar às 23 horas desta quarta-feira dia 24, em directo de São Bento.

De referir que o programa vai ter a participação do primeiro-ministro António Costa e de outros convidados, incluindo os jornalistas Carlos Albino e Luís Filipe Costa, os fotojornalistas Alfredo Cunha, João Taborda da Gama, Jacinto Lucas Pires e os humoristas Nilton, Nuno Markl e Joana Marques. A emissão conduzida por Graça Franco e José Pedro Frazão conta igualmente com música interpretada por Márcia e pela guitarrista Marta Pereira da Costa. Sem dúvida um programa que promete valer a pena ouvir.

Rádio Comercial - 94,2 MHz Arcos de Valdevez

Uma publicação breve para esclarecer o mistério em torno da nova frequência da Rádio Comercial no Alto Minho (94,2 MHz), que se ouve até Viana do Castelo: a estação nacional da Media Capital Rádios opera a partir de uma torre nova no Pico do Facho, no concelho de Arcos de Valdevez, que é partilhada com a Rádio Valdevez (supõe-se que se trate do emissor principal, nos 96,4 MHz).

Ainda que não esteja confirmado, crê-se que o novo emissor (para já em fase de testes) sirva os concelhos de Arcos de Valdevez, Ponte da Barca e Ponte de Lima (vale do Rio Lima até Viana do Castelo).

segunda-feira, abril 22, 2019

Rádio Linear (Vila do Conde) muda de frequência, para os 88,6 MHz

A Rádio Linear (Vila do Conde) mudou hoje de frequência, dos 104,6 para os 88,6 MHz. Supõe-se que a alteração visa evitar a interferência dos sinais da Rádio Renascença através do emissor da Serra de Santa Justa (104,5 MHz Valongo) e do Rádio Clube da Feira (104,7 MHz Santa Maria da Feira) sobre o sinal vilacondense (nos 104,6 MHz).

De referir que a nova frequência da Rádio Linear se trata da antiga frequência da Rádio Voz de Santo Tirso, que mudou em Agosto de 2018 para os 107,4 MHz.

segunda-feira, abril 15, 2019

Rádio Comercial com nova frequência no Alto Minho (94,2 MHz)?

Parece que entrou em funcionamento um novo emissor da Rádio Comercial, que - segundo as informações do utilizador "viana_am.fm" publicadas no "Fórum da Rádio" , se faz ouvir na cidade de Viana do Castelo (que, aliás, já é servida por um emissor da estação nacional da MCR em Darque (89,3 MHz)), e que opera frequência de 94,2 MHz.

Aparentemente, tudo leva a crer que se poderá tratar de um emissor (em fase de testes mediante autorização da ANACOM) localizado em Ponte de Lima e destinado a servir esta vila minhota. Refira-se que o Alto Minho é, quiçá, a região do continente português onde a recepção da Rádio Comercial é mais problemática, em virtude da não existência de um emissor no Muro (Serra Amarela), ao contrário das outras rádios nacionais e da TSF (Rede Regional Norte).

Aos estimados leitores do blogue, apelo a quem possa ter mais informações a respeito desta nova frequência que nos confirme a existência do novo emissor, e, se possível,  a área de cobertura radioeléctrica e a localização do mesmo.

domingo, abril 14, 2019

Morreu Francisco Amaral, autor do "Íntima Fracção"

Uma triste notícia para a rádio em Portugal. Faleceu Francisco Amaral, o autor do "Íntima Fracção", um dos míticos programas de rádio que estreou em 1984, na Antena 1.

Mais tarde, com a saída do profissional para a TSF, o programa foi emitido na rádio jornal até meados do ano de 2003. Depois de regressar numa emissão especial realizada em Dezembro de 2003, transmitida apenas via Internet, o "Íntima Fracção" regressa ao éter em Abril de 2004, numa única edição especial comemorativa do 20° aniversário,  transmitida na Rádio Universidade de Coimbra e na Rádio Universitária do Minho.

A partir de Outubro do mesmo ano, o "IF" regressa à RUC, numa edição semanal de uma hora, sendo igualmente transmitida na  ESEC Rádio online. O programa é também disponibilizado para escuta em podcast, a partir de Dezembro de 2005.

Entre Maio e Dezembro de 2007, o "Íntima Fracção" é transmitido no Rádio Clube Português. Em Abril de 2008, o programa regressa, desta vez através da edição online do jornal "Expresso". Depois de sair do "Expresso", o programa teve algumas edições em podcast até finais de 2017. Poucos meses depois, em Janeiro de 2018, o "Íntima Fracção" volta a ser transmitido numa estação de rádio, a Radar (97,8 MHz Almada) e também disponibilizado em podcast, situação que se manteve até hoje.

Aos familiares, amigos e colegas do Francisco Amaral, apresento as minhas condolências. É triste perder-se um grande profissional e um dos melhores programas de rádio feitos em Portugal. Que descanse em paz. Nem que o programa voltasse através de outro profissional, jamais seria o mesmo.

quarta-feira, abril 03, 2019

Rádios portuguesas trazem "Radiodays Europe 2020" para Lisboa

Uma excelente notícia para Portugal. A cidade de Lisboa foi escolhida para acolher, no próximo ano(2020), o "Radiodays Europe", um evento anual que reúne os profissionais e as empresas e indústrias ligadas ao sector da rádio. A candidatura portuguesa resultou de uma acção concertada entre os três principais grupos de rádio do país, a RTP (Antena 1, Antena 2, Antena 3, RDP África e RDP Internacional), a Media Capital Rádios (Rádio Comercial, M80, Cidade FM, Smooth FM e Vodafone FM) e o Grupo Renascença Multimédia (Rádio Renascença, RFM, Mega Hits e Rádio Sim).

A conferência decorrerá entre os dias 29 e 31 de Março de 2020, no Centro de Congressos de Lisboa. A organização estima a presença de mais de 1600 profissionais de rádios públicas e privadas de mais de 60 países.

É uma notícia que prestigia Portugal e a competência dos profissionais portugueses. Espero que aproveitem bem o evento para melhorar a qualidade da rádio em Portugal, inspirando-se no melhor que é feito na Europa e no mundo.

terça-feira, abril 02, 2019

Rádio pública de mãos dadas a Moçambique

Uma breve nota para destacar o bom exemplo de serviço público que a RTP- rádio tem prestado nesta terça-feira, dia 2 de Abril de 2019. Solidarizando-se com o drama humano em Moçambique, a RTP está a transmitir o espectáculo "Mão Dada a Moçambique" não só na televisão, como também na Antena 1, Antena 3, RDP África e RDP Internacional. Aliás, a solidariedade com as vítimas do ciclone Idai tem sido uma constante no dia de hoje, em particular na Antena 3.

Por falar em serviço público, hoje ficou-se a saber que o PSD quer ouvir o governo e a administração da RTP a respeito da rádio. Espera-se que outros partidos políticos tenham a coragem de assumir a sua preocupação relativa às condições de funcionamento dos canais de rádio do Estado, pagos pelos portugueses.

terça-feira, março 12, 2019

1979-2019: Rádio Comercial celebra o 40º aniversário

A Rádio Comercial está hoje de parabéns. A estação nacional que pertence agora ao grupo Média Capital, iniciou as emissões regulares no dia 12 de Março de 1979, integrada na então Radiodifusão Portuguesa, porquanto é a sucessora (à época nacionalizada) do extinto Rádio Clube Português.

Sob a direcção de João David Nunes, a então RDP- Rádio Comercial marcou a década de 80 em Portugal com uma programação dinâmica destinada a um público mais jovem e menos dado ao conservadorismo em termos de conteúdos e de escolhas musicais que se mantinha nas rádios da altura (sendo certo que havia um pequeno número de estações locais em Onda Média, grande parte do país só escutava quatro rádios, três da RDP e a Rádio Renascença).

A Rádio Comercial teve alguns programas que ficaram para a história da rádio em Portugal. Os anos 80 em Portugal ficaram marcados pelo  "Som da frente", do mítico António Sérgio, o "Rock em Stock", do Luís Filipe Barros, o "TNT - Todos no Top", de Jorge Pego, a "Discoteca", de Adelino Gonçalves, "As Noites Longas do FM Estéreo", o "Café Concerto", da Maria José Mauperrin, entre outros.

Em 1993, o governo do então primeiro-ministro Cavaco Silva privatizou a Rádio Comercial. Depois de alguns anos a operar como estação generalista mas em condições técnicas precárias, entra na direcção da rádio o engenheiro Luís Montez, que converte a Rádio Comercial numa rádio rock, formato que chegou a líder de audiências em finais dos anos 90, mas que, com a saída do actual dono da Altice Arena, termina em 2003.

A partir de 2003, a estação dirigida por Vítor Ribeiro e a partir de 2005 por Pedro Tojal, passa por uma alguma instabilidade, quer nas audiências, quer nas escolhas musicais duvidosas, para nem falar de situações como a de, durante algum tempo, mandar os ouvintes lerem as notícias no "site" da estação porque dava muito "trabalho" ter um jornalista em antena de hora a hora...


Com a chegada do Pedro Ribeiro à liderança da emissora, o projecto vai-se consolidando e recuperando os níveis de audiências, sendo actualmente a rádio mais ouvida em Portugal.

De referir que até a Antena 1 deu os parabéns à Rádio Comercial através do Facebook, num gesto de "fair play" nem sempre visto nos meios de comunicação social portugueses. E, como o povo português esperava, até o actual Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, que até já teve um programa na então RDP- Rádio Comercial, não se coibiu de telefonar para a estação.

Ao Pedro Ribeiro e aos demais profissionais da Rádio Comercial, quero dizer: parabéns pelo bom trabalho. Que venham mais anos de Rádio Comercial!

sábado, fevereiro 23, 2019

Rádio Universidade de Coimbra regressa ao FM em Março

A Rádio Universidade de Coimbra vai voltar ao éter conimbricense no próximo mês de Março. Com efeito, a estação tem estado, desde meados de Outubro do ano passado, a emitir apenas via Internet, porquanto viu a torre de emissão ser destruída aquando da passagem da tempestade tropical Leslie. Segundo a direcção da RUC, a Universidade de Coimbra vai suportar os custos de reparação da torre e do sistema radiante, cujo orçamento ascende a 30000 euros.

As intervenções técnicas necessárias à retoma da emissão na frequência 107,9 MHz deverão iniciar-se na próxima semana, de forma a que a possa estar concluída a tempo da estação comemorar o seu aniversário (33 anos), no dia 1 de Março.

quarta-feira, fevereiro 13, 2019

13 de Fevereiro: Dia Mundial da Rádio

Rádio. Bastam cinco letras para designar o meio de comunicação social que revolucionou o mundo no século XX.No Dia Mundial da Rádio, não poderia deixar de falar na verdadeira essência da rádio - as pessoas.

A rádio é feita por pessoas, para pessoas; é feita por jornalistas que trabalham todos os dias para informar os ouvintes acerca do que se passa na sua terra, no seu país ou no mundo. A rádio é feita pelos animadores que dão a voz a programas. A rádio é feita por quem empresta a sua voz às ondas do éter ou às emissões online. Permitam-me que saúde todos os homens e todas as mulheres que, dia após dia, falam para o microfone de uma estação de rádio, qual dispositivo eléctrico quase mágico que permite à voz humana "viajar" quilómetros e quilómetros até aos aparelhos de recepção dos ouvintes.

Sem menosprezo por quem faz ouvir o som da sua voz através da rádio, gostaria de destacar especialmente aqueles que trabalham nas rádios mas "não têm voz". A rádio funciona porque há homens e mulheres "invisíveis" (melhor dizendo, invisíveis e inaudíveis), pessoas cujos nomes são quase sempre desconhecidos dos ouvintes. Estou-me a referir aos profissionais que, não tendo o protagonismo de quem está à frente de um microfone, são essenciais para que as emissões decorram normalmente e para que os demais funcionários da estação possam trabalhar nas melhores condições possíveis. Gente que trabalha dentro e fora do estúdio ajudando quem tem alguma coisa a dizer ao mundo.

Gostaria de aludir, em particular, aos homens que trocam o conforto dos estúdios pelo calor e pelo frio, aqueles que, no sentido mais literal da expressão, trabalham à chuva e ao sol, à neve e ao nevoeiro, ao vento e ao granizo, ao bom e ao mau tempo, subindo e descendo montanhas e vales. Homens corajosos que sobem e descem torres de Norte a Sul de Portugal e dos outros países. Refiro-me, naturalmente, aos técnicos, quais paramédicos das ondas hertzianas, montam e desmontam antenas, ligam e desligam cabos. Tudo para que a emissão chegue nas melhores condições aos receptores dos ouvintes. Verdadeiros "guerreiros do éter", cujo trabalho que é raramente evocado pelas vozes da rádio (com a honrosa excepção do Provedor do Ouvinte da RTP), é fundamental para que os ouvintes possam escutar as suas rádios favoritas com a melhor qualidade de recepção.

Neste dia especial, gostaria de cumprimentar todos os profissionais da área da radiodifusão que visitam o blogue "Mundo da Rádio", agradecendo o trabalho desenvolvido em prol da rádio. Como referi, a rádio encontra o sentido da sua existência na natureza humana. Quem ouve rádio espera encontrar alguém que fala como um ser humano, pensa como um humano, sente como um humano e age como um humano. Que outra coisa consegue ter um comportamento humano tão natural quanto os humanos a não ser os próprio seres humanos? Por mais evoluídos que sejam os sistemas de automação das emissões de rádio, por maiores evoluções que surjam nas tecnologias, nenhuma máquina será capaz de substituir umas das características intrínsecas à condição humana: ter sentimentos. A extraordinária reacção de riso motivada por uma situação caricata ou de choro perante uma tragédia. Aliás, a capacidade de transmitir, unicamente através da voz tal estado de espírito, despertando a imaginação dos ouvintes. Nenhum algoritmo implementado num software informático será capaz de organizar uma "playlist" que espelhe o pensamento de uma pessoa que selecciona criteriosamente as músicas baseado no seu gosto e na ideia que quer transmitir aos ouvintes.

Numa era em que a tentação por automatizar operações leva à descaracterização de algumas rádios, diria que um computador a "debitar" música escolhida sem critério e com escassa intervenção humana, é um sistema de difusão de música a metro. Não é uma rádio, no verdadeiro sentido da palavra. É uma máquina automática desprovida de qualquer sentimento e incapaz de compreender o ouvinte. Na rádio, o que realmente importa é o som. O som de uma má notícia e o som empolgante de um relato de futebol. O som da música e o som de uma chamada telefónica de um ouvinte. O som, a vibração de ondas sonoras produzida por profissionais no estúdio. Não o som de um computador desprovido de inteligência emocional.

Para terminar, acredito que, se a rádio tem passado, se a rádio tem presente, a rádio terá futuro, assim haja quem tenha algo de útil e interessante a dizer e exista quem queira ouvir. As tecnologias podem mudar, os gostos podem variar, mas a rádio sobreviveu à chagada da televisão e soube adaptar-se à emergência da Internet. Viva a rádio!

quinta-feira, fevereiro 07, 2019

"Circulatura do Quadrado" também na TSF

15 anos depois do programa "Flashback" ter abandonado a TSF, transformado no formato televisivo "Quadratura do Círculo", eis que o programa de debate político regressa à rádio. A "Circulatura do Quadrado" vai para o ar a partir das 21h15 desta quinta-feira na TVI24, mas também em versão radiofónica, na TSF, com direito a um convidado especial: o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa.

Claramente uma boa notícia para a TSF, que, não obstante a primazia da televisão, mostra que  ainda há espaço para programas alargados de natureza política na rádio em Portugal (ainda que a "reboque" da televisão).

quinta-feira, janeiro 03, 2019

Antena Miróbriga muda de nome para Rádio M24:

A "Antena Miróbriga", estação local do concelho de Santiago do Cacém (102,7 MHz), mudou de designação: a partir de agora chama-se "Rádio M24". A emissora já tem um "site" novo (ainda que, aparentemente, em fase de construção; apenas disponibiliza a emissão "online"), no endereço: www.radiom24.pt .